O FENÔMENO EL NIÑO E AS SECAS NO NORDESTE DO BRASIL

  • José de Araújo Costa

Resumo

O fenômeno climático El Niño é conhecido desde os tempos coloniais e atualmente é bastante estudado por diversos cientistas ao redor do mundo, sendo sua gênese e efeitos bastante conhecidos. Os estudos referentes a tal fenômeno se baseiam em análise da temperatura da água do Oceano Pacífico tropical e das interações existentes com a atmosfera. Indicam que o aquecimento desigual das águas do Pacífico resulta em aumento de temperatura das águas e consequente modificação na pressão atmosférica, com desvios das correntes áreas em várias direções, sobretudo, sobre a Amazônia brasileira e sobre o Nordeste. Os efeitos do El Niño nos anos de maior intensidade da temperatura do Pacífico alteram a circulação das águas do Oceano Atlântico, interferindo nos índices pluviométricos e nas temperaturas de muitas regiões do planeta. Um dos efeitos mais conhecidos é o prolongamento das secas na região semiárida do Brasil. Essa porção do território nordestino concentra uma população bastante numerosa que fica à mercê das influencias negativas do El Niño. A gênese do fenômeno pode ser mensurada e até prevista, porém, no caso do semiárido nordestino, a atenuação ou mesmo convivência com seus efeitos, está subordinada às interferências políticas de alguns grupos que comandam a região e não querem ver o problema da seca e seus efeitos serem solucionados.
Publicado
2014-08-01
Seção
Artigos