Geografia da saúde: uma abordagem da distribuição de doenças arboviroses

  • Edvaldo Braz Barreto Universidade Estadual de Alagoas-UNEAL
  • Edja Ferreira Barreto Universidade Estadual de Alagoas-UNEAL
  • Claudionor de Oliveira Silva Instituto Federal de Alagoas-IFAL - Campus Palmeira dos ìndios

Resumo

RESUMO: Nos últimos anos tem se tornado perceptível através das mídias e do nosso convívio social que as ciências estão sempre em busca de alternativas para diminuírem as proliferações de doenças que se alastram por todo espaço geográfico. Este trabalho traz uma discussão sobre a importância da geografia, trazendo notórias as reflexões, discussões até que se sistematiza como ciência, e a sua importância na contemporaneidade, e a contribuição da Geografia da Saúde para a sociedade. O objetivo do trabalho foi realizar uma abordagem geográfica da distribuição da Dengue no espaço urbano palmarino, nos anos de 2014 e 2015. A metodologia para realização dessa pesquisa baseou-se em estudo bibliográfico, com autores que abordam o assunto, documental, a partir de registros oficiais da Secretaria Municipal de Saúde e pesquisa de campo, com a aplicação de questionários no bairro Sagrada Família. Os resultados apontam que o período chuvoso é o que mais houve proliferação do mosquito, e um dos motivos e o armazenamento de água de forma inadequada. A pesquisa mostrou também a falta de políticas públicas e de ações efetivas que possam conscientizar e educar a população no combate ao mosquito.

PALAVRAS-CHAVE: dengue, espaço, distribuição.

Referências

REFERÊNCIA

ALIEVI, A. A.; PINESE, J. P. P. A geografia da saúde no Brasil: precedentes históricos e contribuições teóricas. Disponível em: www.egal2013/wp-content/uploads/2013/07tra_alan_alves_jose-paulo--pinese.pdf. Acesso em 13 de março de 2014.

BRASIL, Ministério da Saúde. Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa) para vigilância entomológica do Aedes aegypti no Brasil : metodologia para avaliação dos índices de Breteau e Predial e tipo de recipientes. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_liraa_2013.pdf . Acesso em 20 de junho de 2017.

BRASIL, Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde-FUNASA. Dengue instrução para pessoal de combate ao vetor: manual de normas técnicas. - 3. ed. rev. – Brasília: 2001. 84 p.: il. 30 cm. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/man_dengue.pdf. Acesso em 02 de janeiro de 2017.

CATÃO, Rafael de Castro. Dengue no Brasil: abordagem geográfica na escala nacional. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

CORRÊA, Roberto Lobato. O Espaço Urbano. São Paulo, 1995.

CORRÊA, Roberto Lobato. Região e Organização Espacial. São Paulo, 1986.

CORRÊA, Roberto Lobato. Construindo o Conceito de Cidade Média. São Paulo, 2007.

COSTA, M. C. N.; TEIXEIRA, M. G. L. C. A concepção de “espaço” na Investigação epidemiológica. Cad. Saúde Publica, v. 15, n.2, abr/jun.1999. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/12489/1/7.pdf. Acesso em 15 mar. 2017.

CARVALHÊDO, W. S. ; LIRA, E. R. Geografia e Saúde Pública Urbana: Estudo de Caso do Loteamento São Francisco de Porto Nacional-TO, 2008. Disponível em: http://www.anppas.org.br/encontro4/cd/ARQUIVOS/GT14-1037-1018-20080510191332.pdf. Acesso em 22 de abr. de 2014.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa/Antônio Carlos Gil. - 4. ed. - São Paulo : Atlas, 2002. Disponível em: https://professores.faccat.br/moodle/pluginfile.php/13410/mod_resource/content/1/como_elaborar_projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil.pdf. Acesso em 10 set. 2015.

SANTOS, F. O. Geografia médica ou Geografia da saúde? Uma reflexão, 2010. Disponível em: http://www.agbpp.dominiotemporario.com/doc/CPG32A-5.pdf. Acesso em 20 de jun. de 2017.

Publicado
2020-10-27
Como Citar
Barreto, E. B., Barreto, E. F., & Silva, C. de O. (2020). Geografia da saúde: uma abordagem da distribuição de doenças arboviroses. Diversitas Journal, 5(4), 2608-2621. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v5i4-681