Perspectivas sobre Autonomia e Empoderamento das Mulheres Rurais Sertanejas: Um estudo de caso

Resumo

RESUMO: Esta pesquisa se dá no meio rural do Alto Sertão de Sergipe e tem como objetivo discutir aspectos sobre a autonomia e o empoderamento das mulheres que se organizam associativamente e produzem segundo preceitos agroecológicos. Para melhor compreender a realidade social dessas camponesas, metodologicamente optou-se pelo Estudo de Caso na Associação de Mulheres “Resgatando Sua História”, a pesquisa foi realizada em 2015 e 2019 e teve como principais procedimentos para coleta de dados: observações diretas, entrevistas com as todas as associadas, condução de grupo focal e pesquisa documental e utiliza-se, predominantemente, a análise qualitativa das informações. Verificou-se que a opção das mulheres pela agroecologia e pelo trabalho coletivo na Associação colabora para que as associadas protagonizem a organização das atividades produtivas agrícolas e não agrícolas, e participem na construção da renda monetária e não monetária das famílias rurais, o que tem contribuído para a segurança alimentar das famílias e para a afirmação dessas mulheres como protagonistas na gestão de seus modos de vida. A organização social das mulheres culminou na construção de uma identidade coletiva onde é notório a sociabilidade e o aumento da autoestima das associadas. Assim, o processo de associativismo proporcionou a inclusão social, econômica e política das mulheres e, portanto, pode ser considerado uma estratégia na busca por autonomia, pois fez com que as associadas transformassem a realidade cultural, de mulher sertaneja, superando as adversidades através da Associação, onde passaram a experimentar o status de serem donas de suas vidas e expressam o sentimento de empoderamento.

PALAVRAS-CHAVE: Associativismo, Gênero, Agroecologia.

Biografia do Autor

Tatiana Frey Biehl Brandão, Universidade Federal de Alagoas/ Campus do Sertão - Unidade de Santana do Ipanema

Docente da UFAL/ Campus do Sertão/ Unidade Santana do Ipanema. Mestranda em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (PPGADR/UFSCAR), pós-graduada em Auditoria e Perícia Contábil (Faculdade Maurício de Nassau), graduada em Ciências Contábeis (UFAL).

Janice Rodrigues Placeres Borges, Ufscar

Graduada em Ciências Sociais pela UNESP, possui Mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos, Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental, pelo Centro de Recursos Hídricos e Ecologia Aplicada (CRHEA) da Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo e Pós-doutorado em Medicina Social, pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo. Vem realizando estudos populacionais na área de Sociologia Rural, Saúde Coletiva, Sociologia Ambiental, Antropologia Social, atuando principalmente nos temas: família, exclusão social, condições de vida, modos de vida e estratégias de sobrevivência, saúde e bem-estar rural, meio ambiente: preservação, riscos e vulnerabilidade socioambientais, saneamento ambiental, saúde e ambiente, transição agroecológica, novas ruralidades, idosos e envelhecimento na área rural brasileira, semiárido nordestino e comunidades tradicionias.

Sonia Maria Pessoas Pereira Bergamasco, UNICAMP

Possui graduação em Agronomia pela Universidade de São Paulo (1969) e graduação em Economia pelo Instituto de Ensino de Marília (1972 - diploma registrado pela USP), mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa (1976) e doutorado em Ciências pela UNESP (1974). Pós-doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (1980), especialização em Extensão Rural para o Desenvolvimento Sócioeconomico pela Wageningen University (1985), pós-doutorado pela École de Hautés Études em Sciences Sociales 1990/91. É professora titular da Universidade Estadual Paulista - UNESP/Botucatu e pela Universidade Estadual de Campinas, atuando junto à Faculdade de Engenharia Agrícola na área de Planejamento e Desenvolvimento Rural Sustentável, também foi Professora Visitante Sênior da Universidade Federal de São Carlos - Campus Araras (2014-2017). Tem experiência nas áreas de Extensão Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: Desenvolvimento Rural Sustentável, Reforma Agrária e Assentamentos Rurais e avaliação de Políticas Públicas para Agricultura Familiar. É autora de mais de 16 livros, dentre eles? O que são Assentamentos Rurais? da Coleção Primeiros Passo da Editora Brasiliense. Apresenta mais de 100 artigos publicados em periódicos com seletiva política editorial e mais de 35 capítulos de livros. Participou como assessora do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA-Brasil), do IICA, da FAO e do IFPRI, em trabalhos de formação de extensionistas, de avaliação da Política de Assistência Técnica e Extensão Rural, bem como de políticas de Crédito Rural e Políticas de Comercialização para a Agricultura Familiar. 

Publicado
2021-06-02
Como Citar
Brandão, T. F. B., Borges, J. R. P., & Bergamasco, S. M. P. P. (2021). Perspectivas sobre Autonomia e Empoderamento das Mulheres Rurais Sertanejas: Um estudo de caso. Diversitas Journal, 6(2), 2762-2790. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v6i2-1770
Seção
Dossiê Temático - Desenvolvimento e Sustentabilidade