Depressão, ideação suicida e qualidade de vida de agentes comunitários de saúde

Resumo

Agentes Comunitários de Saúde (ACS) fazem parte da Estratégia de Saúde da Família e possuem atribuições que devem ser seguidas nos serviços de saúde. Há a necessidade de reconhecer o trabalho do agente comunitário de saúde e valorizar às suas condições de trabalho, como também atentar para comportamentos que possam comprometer sua qualidade de vida e ao desenvolvimento de transtornos mentais como depressão e comportamento suicida. Este estudo tem como objetivo identificar sinais e sintomas de depressão e ideação suicida e avaliar a qualidade de vida de agentes comunitários de saúde. Trata-se de uma pesquisa epidemiológica de corte transversal, com abordagem quantitativa de caráter descritivo. Foram utilizados questionário de identificação, Escala de depressão (CES-D) e o questionário sobre qualidade de vida WHOQOL-BREF. O local de pesquisa foi em 14 Unidades Básicas de Saúde do Município de Arapiraca-AL, com uma amostra de 114 Agentes Comunitários de Saúde. Os dados foram analisados por meio do programa SSPS, versão 20. Dentre os participantes da pesquisa, 34 (26,8%) apresentaram risco para depressão, 5 (3,9%) alegaram pensar em uma maneira suicidar-se e 4 (3,1%)  tentaram suicídio no último mês. A depressão correlacionada com a qualidade de vida identificou média maior (60,2 ± 14,9) no domínio das relações sociais e uma média menor (40,1 ± 16,9) no domínio físico no grupo com risco para depressão. Este estudo mostra que qualidade de vida não deve ser estudada de maneira fragmentada, sendo necessário associar a outras questões com a depressão e a ideação suicida.

Descritores: Depressão, Qualidade de vida, Ideação suicida.

Biografia do Autor

Alice Correia Barros, UFAL

Enfermeira. Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Alagoas - UFAL (2020). Graduada em 2014 pela Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - UNCISAL. Pós-graduada, latu sensu, pelo programa de residência de enfermagem em psiquiatria e saúde mental da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - UNCISAL (2015/2017). Pós-graduada, latu sensu, em Saúde da Família pela Faculdade Integrada de Patos - FIP (2015/2017). Título de Enfermeira Terapeuta - COFEN (2020) Atualmente, enfermeira do Departamento de Qualidade de Vida da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE. Trabalhou como docente do Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Alagoas - UFAL/Campus Arapiraca, nas disciplinas Saúde do Adulto II, Saúde Mental, Psicologia Aplicada à Enfermagem e Supervisão de estágio curricular na atenção básica. Docente de cursos técnicos de enfermagem. Tem experiência na área de enfermagem com ênfase em Saúde mental. Atua como docente na pós-graduação em Urgência e Emergência em UTI da Universidade Tiradentes - UNIT e na UNIVIRTUAL. É membro do grupo de pesquisa em saúde mental da UFAL. É membro da câmara técnica referência em saúde mental e atenção psicossocial pelo Conselho Regional de Enfermagem COREN - AL.

Publicado
2021-01-28
Como Citar
Alves, V. de M., Silva, R. B. da, Silva, M. A. dos S., Barros, A. C., & Francisco, L. C. F. de L. (2021). Depressão, ideação suicida e qualidade de vida de agentes comunitários de saúde . Diversitas Journal, 6(1), 662-674. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v6i1-1588