Utilização do método do caminho crítico em obras no Complexo Naval da Ilha do Governador

Resumo

RESUMO: Sabe-se que o saneamento básico de qualquer instalação impacta diretamente na qualidade de vida das pessoas que habitam ou trabalham naquele espaço, contribuindo inclusive para a preservação ou degradação do ambiente circundante. Assim, este trabalho tem o objetivo de aplicar o método do caminho crítico à obra de esgotamento sanitário do Complexo Naval da Ilha do Governador. Será utilizado o PERT/CPM, Método do Caminho Crítico, em sua execução, com o propósito de acompanhar as atividades das obras de reparo. O referido método fundamenta-se na Teoria dos Grafos, devendo ser utilizado estrategicamente pelo gestor, tendo em vista que indica o conjunto de atividades que não podem sofrer atraso, sob pena de atrasar todo o projeto. No que tange à metodologia, a presente pesquisa pode ser classificada como exploratória e estudo de caso. Com o advento deste estudo, vislumbra-se a possibilidade de se devolver a funcionalidade da rede de esgoto sanitário do aludido Complexo Naval, manter todas as características de operação do sistema original, recuperar os sistemas de equipamentos da elevatória existente e contribuir com a diminuição da poluição das águas que margeiam as instalações. O estudo encontra-se dividido em cinco seções a saber: Introdução, Descrição do Problema, Fundamentação Teórica, Método do Caminho Crítico e Considerações Finais. Verificando os resultados obtidos com a utilização dos métodos PERT/CPM, foi possível observar a importância do Caminho Crítico das atividades desenvolvidas na obra. Esta pesquisa pode trazer uma significativa contribuição para a sociedade na medida em que o bom andamento da obra em questão pode evitar o despejo de milhares de litros de esgoto in natura na Baía de Guanabara.

PALAVRAS-CHAVE: Esgoto Sanitário. Método Caminho Crítico.

Biografia do Autor

Cleber Nelson da Rocha das Neves, Marinha do Brasil. Comando do Material de Fuzileiros Navais (CMatFN).

Capitão-Tenente do Corpo de Fuzileiros Navais e Engenheiro Civil (Fundação Técnico Educacional Souza Marques).

Marcos dos Santos, Instituto Militar de Engenharia (IM). Centro de Análise de Sistemas Navais (CASNAV).

Pesquisador de Pós-Doutorado em Ciências e Tecnologias Espaciais do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). Doutor em Engenharia de Produção (UFF) - Linha de Pesquisa: Sistemas, Apoio à Decisão e Logística. Mestre em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ (Pesquisa Operacional). Licenciado em Matemática e Especialista em Instrumentação Matemática (também -pela UFF). Bacharel em Ciências Navais pela Escola Naval - com habilitação em Engenharia de Sistemas. Professor do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação (PPgSC) do Instituto Militar de Engenharia (IME). Professor colaborador da UFF, atuando no Instituto de Estudos Estratégicos (INEST UFF) e no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção.

Carlos Francisco Simões Gomes, Universidade Federal Fluminense (UFF).

Foi gerente de projetos, pesquisador no Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV) de 1997 a 2007 (trabalhando durante 10 anos atividades de desenvolvimento tecnológico, nas áreas de TI, software, usabilidade interface entre outros), em 2007 foi Chefe do Departamento de Engenharia de Sistemas do, CASNAV. Posteriormente Vice-Diretor deste Centro (última função que assumiu) até 2008, quando se desligou do serviço ativo da Marinha. Tem experiência na área de AdministraçãoInformação (TI) e Arquitetura da Informação, com ênfase em Gestão de Risco, atuando principalmente em Decisão Multicritério, Pesquisa Operacional e Engenharia de Produção. Foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa Operacional de 2006 até 2012, exerceu anteriormente por Quatro anos a função de Diretor Tesoureiro. Ocupa a função de professor Associado da Universidade Federal Fluminense. Foi professor horista do Ibmec (oito anos) e da Universidade Veiga de Almeida (13 anos). Foi coordenador do MBA de Governança e Tecnologia da Informação, e da Graduação de Gestão do INFNET de Janeiro a Outubro de 2010. Participou de 130 bancas de conclusão de Graduação, Mestrado, Doutorado e Exame de Qualificação para Mestrado ou Doutorado. Participou de 116 congressos e/ou simpósios, eventos nacionais e/ou internacionais. Possui 114 artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais, e 260 artigos publicados em congressos, simpósios, eventos nacionais e internacionais. Orientou e/ou co-rientou 41 monografias de graduação, 29 dissertações de mestrado, e três monografias de especialização/aperfeiçoamento e quatro Teses de Doutorado, um PBIC e uma supervisão de Pós-doutorado.

Renato Santiago Quintal, Professor do Magistério Superior da Escola Naval (EN)

Doutor em Ambiente e Desenvolvimento pelo Programa de Pós-graduação em Ambiente e Desenvolvimento da Universidade do Vale do Taquari (PPGAD/Univates). Mestre em Ciências Contábeis (Faculdade de Administração e Finanças da Universidade do Estado do Rio de Janeiro/FAF-UERJ); Especialista em Educação Tecnológica (Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca/CEFET-RJ); Especialista em Comércio Exterior (Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro/IE-UFRJ); Especialista em Gerenciamento de Projetos (Fundação Getúlio Vargas/FGV); Bacharel em Direito (Faculdade Nacional de Direito/UFRJ); Bacharel em Ciências Navais, com Habilitação em Administração de Sistemas (Escola Naval/EN); Licenciado em Pedagogia (UNIRIO); e Bacharel em Administração (Universidade Cândido Mendes/UCAM).

Publicado
2021-01-26
Como Citar
Neves, C. N. da R. das, Santos, M. dos, Gomes, C. F. S., & Quintal, R. S. (2021). Utilização do método do caminho crítico em obras no Complexo Naval da Ilha do Governador. Diversitas Journal, 6(1), 396-410. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v6i1-1340