Prevalência de Disfunções Temporomandibulares em Indivíduos que Procuraram Tratamento Odontológico Protético

Resumo

RESUMO: Disfunção temporomandibular (DTM) refere-se a um conjunto de sinais e sintomas que afetam os músculos da região orofacial, articulação temporomandibular (ATM) e estruturas anexas. Este estudo teve como objetivo analisar a prevalência de DTM em pacientes que possuíam indicação para tratamento odontológico protético. Trata-se de um estudo observacional, analítico transversal, quantitativo, aprovado pelo comitê de ética sob parecer número: 2006/0107. Incluiu-se todos os pacientes que procuraram tratamento odontológico para fins protéticos, sendo excluídos pacientes com idade abaixo de 18 anos, e que estivessem em tratamento ortodôntico. Aplicou-se o Critério de Diagnóstico em Pesquisa das Desordens Temporomandibulares (RDC/TMD) eixo I e II, para análise da prevalência de DTMs na população estudada. Os dados foram tabulados no programa Microsoft Office Excel, e em seguida, analisados pela estatística descritiva, utilizando-se de cálculos de frequência absoluta e relativa. Foram estudados 80 indivíduos, dos quais 70% corresponderam ao sexo feminino e, 30% ao sexo masculino, com prevalência de idade entre 45 e 55 anos (fi= 27). 25% da amostra apresentou diagnóstico de DTM (p=0,3837), desses, 15% corresponderam ao gênero feminino. Dos distúrbios identificados, separados por 3 grupos, o mais frequente foi o deslocamento do disco com redução (GII)= 58,33%, artralgia/osteoartrite (GIII)=  25,00% e, dor miofascial (GI)= 16,67%. Uma porcentagem considerável (25%) do grupo estudado apresentou DTM, desta forma, sugere-se que a ausência dentária pode vir a desencadear uma desarmonia no sistema estomatognático, afetando a ATM, ao depender da tolerância fisiológica e estrutural do indivíduo. Sugere-se mais estudos desta natureza para caracterizar a patologia neste público e implementar tratamentos adequados.

PALAVRAS-CHAVE: Articulação temporomandibular, sistema estomatognático, estudo clínico.

Biografia do Autor

Jadson Mathyas Domingos da Silva, Centro Universitário Tiradentes - UNIT

Graduando em odontologia pelo Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL

Mariana Josué Raposo, Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Alagoas. Pós-graduação em Implantodontia pela USP e pelo Ilapeo/Curitiba. Pós-graduação em Dentística Restauradora ABO/AL. Pós-graduação em DTM pela USP. Especialista em Prótese Dentária pela USP. Mestre em Prótese Dentária pela Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic - Campinas. Doutoranda em Implantodontia pela Faculdade São Leopoldo Mandic - Campinas. Professora Adjunto I Celetista do Curso de Odontologia das disciplinas de Introduâo a Oclusão, Reabilitação Oral I e Estágio Supervisionado do Centro Universitário Tiradentes.

Publicado
2020-10-27
Como Citar
Silva, J. M. D. da, & Raposo, M. J. (2020). Prevalência de Disfunções Temporomandibulares em Indivíduos que Procuraram Tratamento Odontológico Protético. Diversitas Journal, 5(4), 2948-2958. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v5i4-1303