“Já li conheço, mulé”: uma análise da despalatalização da lateral palatal

Resumo

RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo investigar a despalatalização da lateral palatal /λ/, como em palavras do tipo ‘filho’, ‘julho’ e ‘mulher’ etc. nas regiões Agreste, Sertão e Litoral de Alagoas. Investiga-se a troca de um fonema palatal por um alveolar em consequência de não se apoiar corretamente a ponta da língua no palato duro ao produzir o fonema. Nesta pesquisa, é utilizado o aporte teórico da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 2008 [1972]; WEINREICH, LABOV, HERZOG, 2006 e outros), a qual prevê que cada elemento variacional no interior da língua sofre de uma valoração social que direciona sua realização. A pesquisa conta com 128 entrevistas de fala espontânea de informantes estratificados em sexo, idade, escolaridade e região. O processo de análise é feito com o auxílio dos seguintes programas computacionais: Praat (análise acústica), R e Rstudio (análise estatística). São correlacionadas as variáveis sociais às variáveis linguísticas (contexto/vogal anterior, contexto/vogal seguinte, quantidade de sílabas, classe gramatical e acento). Os resultados indicam que a variante despalatalizada aparentemente sofre pressões etnográficas e é proporcionalmente favorecida pela proximidade do Litoral, enquanto o Sertão a inibe. Essa variante carrega valores sociais negativos, sendo evitadas pelas mulheres e pessoas mais escolarizadas. Linguisticamente, a variante despalatalizada é condicionada pelo contexto anterior, contexto seguinte, tonicidade e classe gramatical.

PALAVRAS-CHAVES: Sociolinguística Variacionista, fonética e fonologia, Alagoas.

Publicado
2021-01-31
Como Citar
Santos, M. de F. R., Oliveira, A. A. de, Marques, A. K. L. de O., & Oliveira, A. B. F. de. (2021). “Já li conheço, mulé”: uma análise da despalatalização da lateral palatal. Diversitas Journal, 6(1), 1680-1698. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v6i1-1147