Trabalho e economia solidária na formação identitária do Assentamento Florestan Fernandes: um olhar a partir da história oral

  • Danilo Assunção da Silva Universidade Federal de Sergipe
  • Ricardo Oliveira da Silva Universidade Federal de Sergipe

Resumo

RESUMO: A pesquisa teve como objetivo apresentar a importância do Trabalho e da economia solidária no processo de formação da identidade do Assentamento Florestan Fernandes, situado na localidade de Canindé de São Francisco, no Estado de Sergipe. Utilizou-se a história oral como método de pesquisa para compreender o trabalho realizado com os jovens do assentamento, visando desenvolver iniciativas de economia criativa e solidária, e a importância desse trabalho para o fortalecimento da identidade coletiva do assentamento e para a construção do protagonismo dos jovens assentados na comunidade e na condução da sua própria história. O artigo pretende contribuir para demonstrar a importância da história oral como método de pesquisa em história e para reafirmar a importância social dos assentamentos como espaços alternativos de organização e resistência.

PALAVRAS-CHAVE: História oral. Identidade coletiva. Assentamento.

Biografia do Autor

Danilo Assunção da Silva, Universidade Federal de Sergipe

Cursista do Mestrado Profissional em Ensino de História (Profhistória) da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Ricardo Oliveira da Silva, Universidade Federal de Sergipe

Cursista do Mestrado Profissional em Ensino de História ( Profhistória ) da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Publicado
2020-04-09
Como Citar
Silva, D. A. da, & Silva, R. O. da. (2020). Trabalho e economia solidária na formação identitária do Assentamento Florestan Fernandes: um olhar a partir da história oral. Diversitas Journal, 5(2), 1398-1410. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v5i2-1128
Seção
Dossiê Temático - História oral e territorialidades sertanejas