Investigação da ocorrência de enteroparasitoses em portadores de doenças autoimunes e em uso de imunossupressores a longo prazo

  • Rawanderson dos Santos UNCISAL
  • Anna Amelia de Paula Moares Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas – UNCISAL
  • Wagnner José Nascimento Porto Universidade Federal de Alagoas - UFAL
  • Flaviana Santos Wanderley Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas – UNCISAL

Resumo

RESUMO: Introdução: Pacientes com diagnóstico de doenças autoimunes apresentam em função da própria doença de base ou do tratamento por drogas imunossupressoras, um maior risco de ocorrência de manifestações graves das parasitoses intestinais. Objetivo. O presente estudo visou avaliar a prevalência de parasitoses intestinais em portadores de doenças autoimunes e em uso de imunossupressores. Metodologia. Foi realizada uma busca ativa através dos prontuários dos pacientes da Reumatologia do Ambulatório de Especialidades Médicas da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Para cada participante foi aplicado um questionário padrão, levando em consideração, caracterização e características socioeconômicas, ambientais, hábitos sanitários e condições clínicas. Para identificação dos parasitos foi realizado o exame parasitológico de fezes pelo método de Hoffman, Pons e Janner.  Resultados. Foram realizadas 14 entrevistas e 08 exames parasitológicos de fezes. Houve uma predominância no sexo feminino nos pacientes analisados (85,7%) e as patologias mais encontradas foram Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) e Artrite Reumatoide (AR), sendo cada uma com 35,7%. A polifarmácia esteve presente em todos os participantes. Das medicações utilizadas, o Metotrexato se fez presente em 100% dos participantes, seguido pela Azatioprina (75%) e pela Prednisona (61%). Não foi encontrada positividade de nenhuma espécie de parasito nas fezes analisadas. Conclusão. Devido à escassez de estudos de correlação entre parasitoses intestinais e doenças autoimunes, existe uma grande necessidade de aprofundar-se nessa temática, tendo em vista que as parasitoses intestinais são problemas de saúde pública em todo o Brasil e associadas a uma condição de imunossupressão podem apresentar graves repercussões passíveis de serem evitadas.

PALAVRAS-CHAVE: Enteroparasitoses, Doenças autoimunes, Drogas imunossupressoras.

Biografia do Autor

Anna Amelia de Paula Moares, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas – UNCISAL

Biomédica, Técnica do Laboratório de Doenças Infectoparasitárias (LaDIP/UNCISAL)

Wagnner José Nascimento Porto, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Doutor, Professor de Parasitologia do Centro de Ciências Biológicas (CCBI/UFAL)

Flaviana Santos Wanderley, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas – UNCISAL

Doutora, Professora de Parasitologia do Núcleo de Ciências Biológicas (NUCIB/UNCISAL)

Publicado
2020-10-27
Como Citar
Santos, R. dos, Moares, A. A. de P., Porto, W. J. N., & Wanderley, F. S. (2020). Investigação da ocorrência de enteroparasitoses em portadores de doenças autoimunes e em uso de imunossupressores a longo prazo. Diversitas Journal, 5(4), 2908-2920. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v5i4-1098