Canal do Sertão de Alagoas: território destinado para o agronegócio?

Resumo

RESUMO: A implantação do Canal do Sertão no Estado de Alagoas trouxe uma valorização no território. A obra hídrica beneficiou a região do Alto Sertão alagoano, beneficiando os pequenos agricultores da Região e consequentemente a vinda de grandes empresas para usufruírem do território do Sertão e o uso das águas, pois o Estado através de suas políticas públicas, implantam grandes obras para o desenvolvimento da Região e consequentemente o seu uso para as grandes empresas do Agronegócio através da monocultura irrigada, podendo assim obter um retorno favorável no uso do território. Contudo tem aumentado em grande escala a procura por compra de terrenos que estejam localizados próximo ao canal do Sertão, pessoas que contém um poder aquisitivo maior e que tem mais facilidade em conseguir um empréstimo bancário investem o dinheiro na compra desses terrenos e na sequência desse processo, ocorre a compra de material para plantação. Assim o canal do Sertão vem beneficiando ainda mais os interesses do Estado, pois o mesmo investe no aumento da produtividade para que a mesma feita assim em larga escala venham a trazer lucros imediatos e resultados satisfatórios.

PALAVRAS-CHAVE: Canal do Sertão, Agronegócio, Valorização.

Biografia do Autor

Ricardo Santos de Almeida, Universidade Federal de Alagoas, Universidade Aberta do Brasil

Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe. Desenvolve atividades de pesquisa vinculadas as temáticas relacionadas ao agronegócio, território e territorialidades, e processos de ensino-aprendizagem em Geografia e Educação no Campo. Professor da rede pública municipal de Porto Calvo/AL e Professor da Educação Básica Técnica e Tecnológica Substituto de Geografia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas Campus Marechal Deodoro. Professor-Bolsista (não caracteriza vínculo com serviço público) no curso Geografia Licenciatura EaD na Universidade Federal de Alagoas/Universidade Aberta do Brasil (UFAL-UAB) sendo também responsável pela diagramação, layout e finalização dos livros das disciplinas do curso. Vinculado ao Núcleo de Estudos Agrários e Dinâmicas Territoriais (NUAGRÁRIO-IGDEMA-UFAL) desde 2009, ao Grupo de Estudos e Pesquisa em Análise Regional (GEPAR-UFAL) e ao Geoprocessamento e a Cartografia no Ensino de Geografia (GCEG-UFAL) desde 2016.

Publicado
2020-01-13
Como Citar
Santos, R. X. dos, Correia, P. G., & Almeida, R. S. de. (2020). Canal do Sertão de Alagoas: território destinado para o agronegócio?. Diversitas Journal, 5(1), 153-161. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v5i1-1067
Seção
Ciências Humanas e Sociais Aplicadas