CRÉDITOS DE CARBONO E OS CUSTOS AMBIENTAIS UM ESTUDO DE CASO NA USINA CORURIPE

  • Luzileide Euzébio Marinho

Resumo

O presente estudo aborda o tratamento contábil que está sendo dado aos créditos de carbono, da Usina Coruripe, no Estado de Alagoas. A sustentabilidade está cada vez mais presente na gestão das empresas, os governos adotaram através do Protocolo de Kyoto a implantação de projetos em MDL, como principal forma de inserir os países desenvolvidos e em desenvolvimento nas negociações de títulos de créditos de carbono. Atualmente, a contabilidade vem considerando o mercado de carbono da seguinte forma: que apesar de não haver uma normatização específica sobre os créditos de carbono por parte do CFC e que o ativo intangível por ser um benefício econômico futuro, ou ainda, como derivativos por conta da existência de negociações de créditos de carbono antes da efetiva redução dos gases de efeito estufa, ou seja, ser um valor de um ativo futuro que esta sendo negociado no presente, ou como prestação de serviço, pois com os projetos de MDL essas empresas estão possibilitando a outras o direito de poluir. Inclusive, a sua comercialização serve também de amortecedor dos custos ambientais sobre o resultado econômico.
Publicado
2014-08-01
Seção
Artigos