Análise das propriedades físico-químicas das bebidas à base de fruta e seu potencial erosivo no esmalte dental

  • Olívia Maria Guimarães Marroquim CESMAC
  • Marcos Vinícius de Vasconcelos Feitosa Borges CESMAC
  • João Gomes da Costa CESMAC; EMBRAPA
  • Aldenir Feitosa dos Santos UNEAL
  • Camila Maria Beder Ribeiro Girish Panjwani CESMAC
  • Aleska Dias Vanderlei Centro Universitário Cesmac Ápice Cursos

Resumo

Os alimentos líquidos da dieta são considerados causas potenciais para erosão dental. Para a caracterização do potencial erosivo de bebidas, torna-se relevante analisar suas propriedades físico-químicas, como a mensuração do pH, da capacidade tamponante e do teor de sólidos solúveis totais. O objetivo do estudo in vitro foi conhecer o potencial erosivo de bebidas de fruta industrializadas e naturais, amplamente consumidas no Brasil. Foi realizada análise das características físico-químicas, comparando seus valores de pH, CT e teor de SST. Os parâmetros foram observados à temperatura ambiente (±23°C) e refrigeradas (±6°C). Foram selecionadas 9 bebidas de 3 sabores (maracujá, uva e morango) divididas em 3 grupos: bebida industrializada, bebida de polpa de fruta e bebida da fruta in natura, totalizando 18 amostras analisadas. Todas as bebidas apresentaram pH ácido abaixo do crítico para a dissolução do esmalte (<5,5), independente da temperatura (2,74-3,43). Os parâmetros pH e CT não sofreram alterações com a temperatura. O consumo de bebidas ácidas geladas não diminuiu o seu potencial erosivo. A CT mais elevada foi encontrada nas bebidas naturais à base de maracujá (de polpa e da fruta in natura). O aumento no teor de SST não reduziu a acidez das bebidas à base de fruta e as bebidas com valores de SST mais altos possuem maior retenção ao esmalte dental, podendo realizar o desafio ácido por mais tempo. As bebidas à base de fruta analisadas (natural ou industrializada) possuem potencial erosivo e podem provocar danos ao esmalte dentário quando consumidas resfriada ou à temperatura ambiente

Biografia do Autor

Olívia Maria Guimarães Marroquim, CESMAC

Departamento de Mestrado Profissional Pesquisa em Saúde, Centro Universitário Cesmac – Fejal, Rua Cônego Machado, 825 – Bairro: Farol, Cidade: Maceió, Estado: Alagoas, País: Brasil, CEP: 57.051-160. Telefone: 55 82 3215-5021.

Marcos Vinícius de Vasconcelos Feitosa Borges, CESMAC

Faculdade de Odontologia, Centro Universitário Cesmac – Fejal, Rua Cônego Machado, 918 – Bairro: Farol, Cidade: Maceió, Estado: Alagoas, País: Brasil, CEP: 57.051-160. Telefone: 55 82 3215-5000.

João Gomes da Costa, CESMAC; EMBRAPA

Departamento de Mestrado Profissional Pesquisa em Saúde, Centro Universitário Cesmac – Fejal, Rua Cônego Machado, 825 – Bairro: Farol, Cidade: Maceió, Estado: Alagoas, País: Brasil, CEP: 57.051-160. Telefone: 55 82 3215-5021.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Centro de Pesquisa Agropecuária dos Tabuleiros Costeiros, Embrapa Tabuleiros Costeiros. Campus Delza Gitai, BR 104 Norte, Km 85 UEP Rio Largo, Cidade: Rio Largo (Zona Rural), Estado: Alagoas, País: Brasil, CEP: 57.100-000. Telefone: 55 82 32611322

Aldenir Feitosa dos Santos, UNEAL

Departamento de Química, Universidade Estadual de Alagoas, Rua Governador Luiz Cavalcante, s/n – Bairro: Alto do Cruzeiro, Cidade: Arapiraca, Estado: Alagoas, País: Brasil, CEP: 57.312-000. Telefone: 55 82 3521-3019.

Camila Maria Beder Ribeiro Girish Panjwani, CESMAC

Departamento de Mestrado Profissional Pesquisa em Saúde, Centro Universitário Cesmac – Fejal, Rua Cônego Machado, 825 – Bairro: Farol, Cidade: Maceió, Estado: Alagoas, País: Brasil, CEP: 57.051-160. Telefone: 55 82 3215-5021.

Aleska Dias Vanderlei, Centro Universitário Cesmac Ápice Cursos
Mestre e Doutora em Odontologia Restauradora (Área de concentração Prótese Dentária) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP - São José dos Campos). Especialista em Prótese Dentária pela Universidade Paulista (UNIP). Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Atua como Professora Titular do Centro Universitário CESMAC. Membro do corpo docente efetivo e do colegiado do Mestrado Pesquisa em Saúde do Centro Universitário CESMAC. Coordenadora da especialização em Prótese dentária ABO-AL. Membro do corpo docente da especialização em Prótese Dentária e aperfeiçoamento em Restauração Metal Free do Ápice Cursos. Diretora Administrativa da escola de Pós Graduação em Odontologia Ápice Cursos. Atua com Cirurgiã Dentista na especialidade de Prótese Dentária na Clínica SALUS.

Referências

ALVES, V.F.; CARDOSO, A.M.R.; CAVALCANTI, Y.W; PADILHA, W.W.N. Efeito sobre a morfologia do esmalte dental e análise físico-química de medicamentos utilizados por pacientes pediátricos com paralisia cerebral. Rev Odontol UNESP, Araraquara. v.45, n. 4, p. 201-206, jul./ago. 2016.

AMAECHI, B. T.;HIGHAM, S. M.; EDGAR, W. M. Factors influencing the development of dental erosion in vitro: enamel type, temperature and exposure time. J Oral Rehabil. v. 26, n. 8, p. 624-30, Aug 1999.

ARAÚJO, N. C.; MASSONI, A. C. de L. T.; KATZ, C. R. T.; ROSENBLATT, A. Dental erosion and consumption of industrialized beverages in a group of children in Recife / Pernambuco, Brazil. Rev. Odonto Ciênc., v. 24, n. 2, p. 120–123, 2009.

BONVINI, B.; SOARES, A.K.; FARIAS, M.M.A.G.; ARAÚJO, S.M.; SCHMITT, B.H.E. Mensuração do potencial erosivo de balas dissolvidas em água e saliva artificial. Rev Odontol UNESP, Araraquara. v.45, n. 3, p. 154-158, maio/jun. 2016.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 01, de 07 de janeiro de 2000. Aprovação do Regulamento técnico geral para fixação dos padrões de identidade e qualidade para polpa de fruta. Disponível em: <http://extranet.agricultura.gov.br>. Acesso em: 14/01/2016.

CARDOSO, A. M. R.; SANTOS, A. M. de S.; ALMEIDA, F. W. B.; ALBUQUERQUE, T. P.; XAVIER, A. F. C.; CAVALCANTI, A. L. Características Físico-Químicas de Sucos de Frutas Industrializados: Estudo in vitro. Odonto, v. 21, n. 41-42, p. 9-17, 2013.

CATÃO, M. H. C. de V.; SILVA, A. D. L. da; OLIVEIRA, R. M. de. Propriedades físico-químicas de preparados sólidos para refrescos e sucos industrializados. RFO, Passo Fundo, v. 18, n. 1, p. 12-17, jan./abr. 2013.

CAVALCANTI, A. L.; OLIVEIRA, K. F.; PAIVA, P. S.; DIAS, M. V. R.; COSTA, S. K. P.; VIEIRA, F. F. Determinação dos sólidos solúveis totais (°Brix) e pH em bebidas lácteas e sucos de frutas industrializados. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr, Paraíba, v. 6, n. 1, p. 57-64, jan.-abr. 2006.

CAVALCANTI, A.L.; XAVIER, A. F. C.; SOUTO, R. Q.; OLIVEIRA, M. da C.; SANTOS, J. A.; VIEIRA, F. F. In vitro Evaluation of the Erosive Potential of Sports Drinks. Rev Bras Med Esporte, v. 16, n. 2, p. 455–458, 2010.

CORSO, S.; PADILHA, D. M. P.; CORSO, A. C.; HUGO, F. N. Avaliação do potencial erosivo de sucos de fruta artificiais em pó, refrigerantes, isotônicos e chás enlatados disponíveis comercialmente no Brasil. RFO. Passo Fundo, v. 11, n. 1, p. 45-50, jan./jun. 2006.

CRUZ, C. D. Genes: a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Sci-Agron, v. 35, n. 3, p. 271-276, 2013.

FANI, M. Os ácidos alimentícios. Adit Ingred. São Paulo: Editora Insumos, n. 93, p. 26-35, out. 2012.

FARIAS, M. M. A. G.; MARQUES, J. S.; SCHMITT, B. H. E.; SILVEIRA, E. G.; ARAÚJO, S. M. Avaliação da acidez da dieta líquida ingerida pelos pacientes da Clínica de odontopediatria da Univali. RFO, Passo Fundo, v. 19, n. 2, p. 145-150, maio/ago. 2014.

FIORUCCI, A.R.; SOARES, M.H.F.B.; CAVALHEIRO, E.T.G. O conceito de solução tampão. Química Nova. n. 13, MAIO 2001.

FURTADO, J. R.; FREIRE, V. C.; MESSIAS, D. C. F.; TURSSI, C. P. Aspectos físico-químicos relacionados ao potencial erosivo de bebidas ácidas. RFO, Passo Fundo, v. 15, n. 3, p. 325-330, set./dez. 2010.

HAMINIUK, C. W. I.; SIERAKOWSKI, M. R.; IZIDORO, D. R.; MASSON, M. L.Comportamento reológico de sistemas pécticos de polpas de frutas vermelhas. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas. v. 29, n. 1, p. 225-231, jan.-mar. 2009.

LIMA, A.L. de; VALENCA, A. M. G.; ALBUQUERQUE, F. R. DE; SILVA, N. B. da. Análise do pH e da Viscosidade de Enxaguatórios Bucais Fluoretados Disponíveis Comercialmente na Cidade de João Pessoa – PB. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr, Paraíba, v. 5, n. 3, p. 223-228, set.-dez., 2005.

LIMA, H. M. R.; LIMA, L. R.; GALVÃO, F. F. de S. P. Consumo infantil de bebidas lácteas: sólidos solúveis totais (Brix) e pH. Odontol. Clín.-Cient., Recife, v. 10, n. 3, p. 237-241, jul./set. 2011.

LUSSI, A.; JAEGGI, T. Erosion – diagnosis and risk factors.Clin Oral Investig, v. 12 Suppl 1, p. S5–13, mar. 2008.

MALGARIM, M. B.; CANTILLANO, R. F. F.; COUTINHO, E. F. Sistemas e condições de colheita e armazenamento na qualidade de morangos cv. camarosa. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 28, n. 2, p. 185-189, ago. 2006.

MEDEIROS, S. A. F. de; YAMANISHI, O. K,; PEIXOTO, J. R.; PIRES, M. de C.; JUNQUEIRA, N. T. V.; RIBEIRO, J. G. B. L. Caracterização físico-química de progênies de maracujá-roxo e maracujá-azedo cultivados no distrito federal. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 31, n. 2, p. 492-499, Jun. 2009.

MOREIRA, M. dos S. C.; CUNHA, D. A. de; GONDIM, B. L. C.; VALENÇA, A. M. G. Avaliação Microestrutural do Esmalte Bovino Exposto a Bebidas Lácteas Fermentadas e Propriedades Físico Químicas. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr, João Pessoa, v. 12, n. 2, p. 161-67, abr./jun. 2012.

NÓBREGA, D. F.; VALENÇA, A. M. G.; SANTIAGO, B. M.; CLAUDINO, L. V.; LIMA, A. L. de; VIEIRA, T. I. et al. Propriedades físico-químicas da dieta líquida gaseificada: um estudo in vitro. Rev Odontol UNESP, Araraquara, v. 39, n. 2, p. 69-74, mar./abr. 2010.

NUNN, J. H. Prevalence of dental erosion and the implications for oral health. Eur J Oral Sci, v. 104, n. 2, p. 156–61, abr. 1996.

PATUSSI, E. G. Ação de sucos de laranja e refrigerante sobre capacidade tampão, pH, cálcio e fosfato salivar de crianças –estudo in vivo.2007. 103f. Tese (Doutorado em Odontologia) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2007.

PEREIRA, J. M. A. T. K.; OLIVEIRA, K. A. M.; SOARES, N. F. F.; GONÇALVES, M. P. J. C.; PINTO, C. L. O.; FONTES, E. A. F.. Avaliação da qualidade físico-química, microbiológica e microscópica de polpas de frutas congeladas comercializadas na cidade de Viçosa-MG. Alim. Nutr., v. 17, n. 4, p 437-442, out/dez, 2006.

RAMOS, B.L.M.; FARIAS, M.M.A.G.; SILVEIRA, E.G. da. Mensuração do potencial erosivo de diferentes tipos de bebidas industrializadas sabor uva. Salusvita, Bauru, v. 34, n. 1, p. 45-55, 2015.

RIZZON, L. A.; SGANZERLA, V. M. A. Ácidos tartárico e málico no mosto de uva em Bento Gonçalves-RS. Cienc Rural, v.37, n.3, p. 911-914, mai-jun 2007.

ROMÃO, D.A.; MIAYGAKI, D.; MARCELINO-ALVES, M.; FALCÃO, A. Fatores Modificadores Do Desenvolvimento Da Erosão Dental. In: Dall´Magro E, Carli JP, Linden MSS, Trentin MS, Silva SO. Compêndio Multidisciplinar em Odontologia. São José dos Pinhais: Editora Plena; 2015. p. 39-44

SCARAMUCCI, T.; HARA, A. T.; ZERO, D. T.; FERREIRA, S. S.; AOKI, I. V.; SOBRAL, M. A. Development of an Orange juice surrogate for the study of dental erosion. Braz Dent J. v. 22, n. 6, p. 473-478, 2011.

SEBASTIANY, E.; REGO, E. R. do; VITAL, M. J. S. Avaliação do processo produtivo de polpas de frutas congeladas. Rev Inst Adolfo Lutz, v. 69, n. 3, p. 318-26, 2010.

SILVA, C. R.; SIMONI, J. A. Avaliação da capacidade tamponante - um experimento participativo. Quim Nova, Campinas, v. 23, n. 3, p. 405-409, 2000.

SILVA, Jeison Gabriel et al. Mensuração da acidez de bebidas industrializadas não lácteas destinadas ao público infantil. Rev Odontol UNESP. v. 41, n. 2, p. 76-80, mar-abr 2012.

SILVA, Polyanna Alves. Qualidade de morangos cultivados na região de Lavras, MG, armazenados em temperatura ambiente. Dissertação (Mestre em Agronomia, área de concentração em Agroquímica e Agrobioquímica) – Universidade Federal de Lavras. Minas Gerais, 2007.

SILVA, T. A. A.; SAMPAIO, C. S.; FURTADO, J. E. A. dos S.; ABÍLIO, G. M. F.; XAVIER, A. F. C.; CAVALCANTI, A. L. Avaliação do potencial erosivo de bebidas à base de soja. Rev. bras. ciênc. saúde. v. 14, n. 1, p. 109-114, 2010.

SOBRAL, M. A. P.; LUZ, M. A. A. de C.; GAMA-TEIXEIRA, A.; GARONE NETTO, N. Influência da dieta líquida ácida no desenvolvimento de erosão dental. Pesqui Odontol Bras, v. 14, n. 4, p. 406-410, out./dez. 2000.

TAYLOR, B. Fruit and juice processing. In: Ashurst PR. Chemistry and technology of soft drinks and fruit juices. 2. ed. Bodmin: Blackwell; 2005. p. 35-67.

TORRES, C. P; CHINELATTI, M. A.; GOMES-SILVA, J. M.; RIZÓLI, F. A.; OLIVEIRA, M. A. H de M.; PALMA-DIBB, R. G. et al. Surface and subsurface erosion of primary enamel by acid beverages over time. Braz Dent J, v. 21, n. 4, p. 337–45, jan. 2010.

VIANNA, L. M. F. F.; NUCCI, M.; AMARAL, F. L. B. do; BASTING, R. T.; FRANÇA, F. M. G.; TURSSI, C. P. Caracterização Analítica de Sucos e Néctares de Laranja Adoçados com Sacarose e Edulcorantes. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr, João Pessoa, v. 12, n. 3, p. 363-67, jul./set. 2012.

ZAZE, A. C. S. F.; ALVES, A. E. P.; BORTOLOTTI, L. G.; TONDATTI, C. A. Avaliação dos líquidos mais frequentemente encontrados na dieta de crianças e análise de pH. Arq Ciênc Saúde UNIPAR, Umuarama, v. 15, n. 3, p. 257-261, set./dez. 2011.

Publicado
2019-06-04
Como Citar
Maria Guimarães Marroquim, O., Vinícius de Vasconcelos Feitosa Borges, M., Gomes da Costa, J., Feitosa dos Santos, A., Maria Beder Ribeiro Girish Panjwani, C., & Vanderlei, A. D. (2019). Análise das propriedades físico-químicas das bebidas à base de fruta e seu potencial erosivo no esmalte dental. Diversitas Journal, 4(2), 580-599. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v4i2.770
Seção
Dossiê Temático - Pesquisa em saúde: uma abordagem multidisciplinar

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##