Caracterização histórico-cientifica das Ciências Ambientais no Brasil: diálogos entre a produção científica e a Historiografia

  • Antônio Vital Menezes de Souza Universidade Federal de Sergipe
  • Carla Taciane Figueirêdo Universidade Federal de Alagoas

Resumo

Resumo: Este artigo analisa a caracterização  documental  das ciências ambientais. Inicialmente   explicitam-se ideias, noções, conceitos, predições referentes a construção conceitual. Posteriormente  historiografamos as Ciências Ambientais  no cenário acadêmico   científico no Brasil, trata-se de uma pesquisa teórica bibliográfica, fundamentada no método histórico crítico e nos instrumentos de coleta de dados utilizados foram busca sistemática, e pesquisa documental em nos sites da Capes e do Ministério da Ciência e Tecnologia. Os resultados demonstram que a teoria no campo das ciências ambientais norteia-se/classifica-se por um pragmatismo dogmático explicativo.  Com uma inicial das ciências agrárias e biológicas, entretanto os eventos científicos da área constituíram norte para aumento significativo na representação e produção intelectual das Ciencias Ambientais como campo de conhecimento.

Palavras-chave:  História,    Ciências  Ambientais.  Pesquisa Interdisciplinar.

 

Abstract: This article analyzes the documentary characterization of the environmental sciences. Initially, ideas, notions, concepts, predictions referring to conceptual construction are explained. Afterwards, we have historiogramed the Environmental Sciences in the scientific academic scene in Brazil, this is a theoretical bibliographical research, based on the critical historical method and the instruments of data collection used were systematic search, and documentary research in the sites of Capes and the Ministry of Science and technology. The results demonstrate that the theory in the field of the environmental sciences is/is classified by an explanatory dogmatic pragmatism. With an initial of the agrarian and biological sciences, however the scientific events of the area constituted north for significant increase in the representation and intellectual production of the Environmental Sciences like field of knowledge.

Keywords: History, Environmental Sciences. SearchInterdisciplinary

Biografia do Autor

Antônio Vital Menezes de Souza, Universidade Federal de Sergipe
Orientador de Pesquisa. Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Líder do SEMINALIS - Grupo de Pesquisa em Tecnologias Intelectuais, Mídias e Educação Contemporânea (CNPq).
Carla Taciane Figueirêdo, Universidade Federal de Alagoas
Doutora em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Alagoas, Campus do Sertão – Delmiro Gouveia. Membro do SEMINALIS - Grupo de Pesquisa em Tecnologias Intelectuais, Mídias e Educação Contemporânea (CNPq).

Referências

ACSELRAD, H. Meio Ambiente e democracia. IBASE - Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas, Rio de Janeiro, Brasil, 1992.

ACSELRAD, H. Conflitos ambientais no Brasil. Rio de Janeiro, Fundação Heinrich Böll, Relume Dumará, 2004.

BURSZTYN, M. Meio Ambiente e Interdisciplinaridade: desafios ao mundo acadêmico. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Vol. 10, n. 1: 67-76. 2004.

DRUMMOND, J. A. A história ambiental: temas, fontes e linhas de pesquisa. Estudos Históricos, v.4, n.8, p.177-97, 2003.

FERREIRA, Lúcia da C. "A importância da interdisciplinaridade para a sociedade" in A interdisciplinaridade nas Ciências Ambientais. PNUMA/MCT/PADCT-CIAMB. Brasília, 2000.

FERREIRA, Leila da C. Teoria Social: Construindo a Interdisciplinaridade. Revista Ambiente e Sociedade, nº, 48, 2006.

FERREIRA, Leila da C. Environmental Issues, Interdisciplinary, Social Theory and Intellectual Production in Latin America. In: ISA XVI Word Congress of Sociology. Annals… Durban: ISA, 2006b disponível em http://www.scielo.br/pdf/asoc/v9n2/revista_n2_06.pdf

FLORIANI, D. Conhecimento, Meio Ambiente & Globalização. Juruá Editora. Curitiba, 2004.

GIDDENS, A. As Conseqüências da Modernidade. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista. São Paulo, 1991.

GIDDENS, A., BECK, U. & LASH, S. Modernização Reflexiva, São Paulo, Editora da UNESP. São Paulo, 1997.

GUATTARI, Felix. As três ecologias. 20ª ed. Trad. Maria Cristina F. Bittencourt. Campinas: Papirus, 2009, 56p.

GUBIANI, J. S., Modelo para Diagnosticar a Influência do Capital Intelectual no Potencial de Inovação nas Universidades. Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento – Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, UFSC, Florianópolis, 2011.

HANNIGAN, J. Environmental Sociology - a social constructionist perspective. Routledge. London and New York, 2000.

HARDIN, G. The Tragedy of Commons. Science, v. 162, pp. 1243- 1248. – 11. 1968

HARDIN, G. Carrying Capacity and Quality of Life, The Social Contract, Summer, p.p 233-236. 2005.

JAPIASSU, H. O racionalismo cartesiano. In: REZENDE, A. (Org.). Curso de filosofia. 5. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1992.

JAPIASSU, H. Introdução ao pensamento epistemológico. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

LAKATOS, I. La metodología de los programas de investigación científica. Madrid: Alianza, 1989.

LARRÈRE, Catherine; LARRÈRE, Raphaël. Do bom uso da natureza.Trad. Armando Pereira da Silva. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

LATOUR, Bruno. Política da Natureza: como fazer ciência na democracia. Tradução Carlos Aurélio de Souza. Bauru- São Paulo: Edusc. 2004.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. 1997. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. (Trad. Angela R. Vianna) Rio de Janeiro: Relume Dumará. 1988.

PÁDUA, J. A. Um sopro de destruição: pensamento político e crítica ambiental no Brasil escravista, 1786-1888. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

PHILIPPI Jr., A. et al. Interdisciplinaridade em Ciências Ambientais. São Paulo: Signus, 2000.

RAYNAUT, Claude, ZANONI, Magda (1993). La Construction de l'interdiciplinarité en Formation integrée de l'environnement et du Développement. Paris: Unesco (Document préparé pour Ia Réunion sur les Modalités de travail de CHAIRES UNESCO DU.DÉVELOPPEMENT DURABLE. Curitiba, 1 - 4 juillát 93 - mimeo).

RAYNAUT, C.; LANA, P. C.; ZANONI, M. Pesquisa e formação na área do meio ambiente e desenvolvimento: novos quadros de pensamento, novas formas de avaliação. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 1, p. 71-81, jan./jun. 2000.

ROCHA, P. E. D. Trajetórias e perspectivas da interdisciplinaridade ambiental na pós-graduação brasileira. Ambiente & Sociedade, v. 6, n. 2, p. 155-182, jul./dez. 2003.

ROHDE, Geraldo. Epistemologia Ambiental. Porto Alegre: Edipucrs, 1996.

ROHDE, Geraldo Mario. Epistemologia ambiental: uma abordagem filosófico- científica sobre a efetuação humana alopoiética da Terra e de seus arredores planetários. 2 ed. Revisada e Ampliada. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

RUBIN, M. O. (2011). Produção do Conhecimento Científico: Pós- Graduação Interdisciplinar (STRICTO SENSU) na relação sociedade-natureza. Porto Alegre. 2011. 171 p. (Tese apresentada ao Programa de Pós Graduação em Educação do Rio Grande do Sul) Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Editora Vértice, 1986.

SCHUMACHER, Ernst Friedrich. O negócio é ser pequeno: um estudo de economia que leva em conta as pessoas. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

SOROMENHO-MARQUES, Viriato. A Política de Ambiente em Portugal: Balanço e Perspectivas”, O Futuro Frágil. Os Desafios da Crise Global do Ambiente, Mem Martins, Publicações Europa-América, 1998, pp. 71-106.

SOROMENHO-MARQUES, Viriato. A Política Internacional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Balanço e Perspectivas, Metamorfoses. Entre

o Colapso e o Desenvolvimento Sustentável, Mem Martins, Publicações Europa- América, 2005, pp. 37-62.

SOROMENHO-MARQUES, V. Regressar à terra: consciência ecológica e política de meio ambiente. Lisboa: Fim de século, 1994.

UNESCO - United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (2004). Environmentally Sustainable Economic Development: Building on Brundtland. Paris: Unesco.

ZHOURI, A. et al. (orgs.) A Insustentável leveza da política ambiental. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

Publicado
2019-02-15