Epidemiologia da Leishmaniose Visceral Canina no município de Taquarana – AL (2009-2018)

  • Jecilãine Efigênia da Silva Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL
  • Ivan Nascimento de Oliveira Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL Vigilância Sanitária e prefeitura municipal de Taquarana- AL
  • João Pedro Ferreira Barbosa Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL
  • Thaynnara Paula dos Santos Lira Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL
  • Ana Marta da Silva Lima Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL
  • Claudimary Bispo dos Santos Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL Vigilância sanitária e prefeitura de Arapiraca - AL

Resumo

RESUMO: A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é uma patologia causada por um protozoário do gênero Leishmania, que acomete os cães, os quais são considerados, no ciclo urbano de transmissão, os principais reservatórios, através do qual, o homem pode se infectar. Dessa forma, objetivou-se conhecer a epidemiologia da Leishmaniose Visceral canina, no município de Taquarana, Alagoas, no período de 2009 a 2018. Os dados foram coletados junto com a vigilância sanitária e o setor de endemias da cidade de Taquarana – AL. Para diagnosticar a LVC, foram realizados os exames do teste rápido DPP e Imunoflorescência. Foram registrados 21 casos para cães com sorologia positiva, durante todo o período do estudo, onde no primeiro semestre de 2018 ocorreram 13 casos. Sobre a comunidade residente nessa região foi verificado que a maioria não tem conhecimento sobre a doença.  É possível observar que a vigilância sanitária tenta sanar os problemas que envolvem leishmaniose, entretanto a dificuldade de identificação pela população não se torna viável, uma vez que a falta de conhecimento sobre a doença implica em não saber como se prevenir. Dessa forma, compete a secretaria de saúde do município promover programas e mobilizações para a diminuição da ocorrência de casos da LVC, implementando por meio de palestras, promovendo educação sanitária sobre medidas profiláticas da doença.

PALAVRAS-CHAVE: Parasitose; Endemia; Calazar. 

Biografia do Autor

Claudimary Bispo dos Santos, Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL Vigilância sanitária e prefeitura de Arapiraca - AL
Mestra em Ciências da saúde e professora orientadora;

Referências

REFERÊNCIAS

COSTA, C.H.N. How effective is dog culling in controlling zoonotic visceral leishamniasis? A critical evaluation of the science, politics and ethics behind this public health policy. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.44, n.2, p.232-242, 2011.

NEVES, D. P. Parasitologia humana. São Paulo: Atheneu, 2016.

SALZO, P.S. Aspectos dermatológicos da leishmaniose canina. Nosso clínico, São Paulo, ano 11, n.63, p.30-34, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde/SVS. Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan Net: LEISHMANIOSE VISCERAL - Casos Confirmados Notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Alagoas. Disponível em http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinannet/cnv/leishval.def. Acesso em 13 jun. 2018.

IBGE. Taquarana. 2017. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/al/taquarana/historico>. Acesso em: 25 de mai. 2018.

FIOCRUZ. Teste DPP® Leishmaniose Canina. Disponível em: <https://www.bio.fiocruz.br/index.php/produtos/reativos/testes-rapidos/dppr-leishmaniose-canina >. Acesso em: 06 de Jun. 2018.

FONTES, S.D. Leishimaniose visceral canina. In: III SIMPAC, 3., 2011, Viçosa-MG. Anais... p. 285-290.

MARCONDES, M; ROSSI, C.N. Leishmaniose visceral no Brasil. Brazilian Journal of Veterinarian Research and Animal Science, v. 50, n. 5, p. 341-352, 2013.

FERREIRA, E.C; MELO, L.A; GONTIJO, C.M.F. Leishmanioses do Novo Mundo: Estudo de hospedeiros não humanos e sua importância para a compreensão da ecoepidemiologia da doença. Caderno Técnico de Veterinária e Zootecnia. 2012; 2012(65):09-27.

MOSHFE, A. et al. Canine visceral leishmaniasis: Asymptomatic infected dogs as a source of L. infantum infection. Acta Tropical. 2009; v. 112, n. 2, p. 101-105, 2009.

PRADO, P. F. et al. Epidemiological aspects of human and canine visceral leishmaniasis in Montes Claros, State of Minas Gerais, Brazil, between 2007 and 2009. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 44, n. 5, p. 561-566, 2011.

HARHAY, M. O. et al. Urban parasitology: visceral leishmaniasis in Brazil. Trends Parasitology, 2011; v. 27, n. 9, p. 403-409, 2011.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Con trol of the leishmaniases: report of a meeting of the WHO Expert Committee on the Control of Leishmaniases. Geneva: WHO Press, 2010.

MACHADO, C. J. S. Animais na sociedade brasileira: práticas, relações e interdependências. Rio de Janeiro: E-Papers, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014.

FERREIRA, A. W.; MORAES, S. L. Diagnóstico laboratorial das principais doenças infecciosas e autoimunes. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

Publicado
2019-06-03
Como Citar
da Silva, J. E., de Oliveira, I. N., Ferreira Barbosa, J. P., dos Santos Lira, T. P., da Silva Lima, A. M., & dos Santos, C. B. (2019). Epidemiologia da Leishmaniose Visceral Canina no município de Taquarana – AL (2009-2018). Diversitas Journal, 4(2), 393-402. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v4i2.711