Diagnóstico dos Serviços de Abastecimento de água na Perspectiva do Usuário na Cidade de Ibateguara-AL

  • Sirlange Soares da Silva Brito Universidade Estadual de Alagoas-UNEAL
  • Eliene Oliveira da Silva UNEAL
  • Claudionor de Oliveira Silva UNIVATES

Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar os sistemas de abastecimento de água no município de Ibateguara/AL. O tipo de pesquisa é qualitativa e quantitativa, iniciou-se primeiramente como pesquisas bibliográficas, leis, portarias; com principais referenciais teóricos, autores como, Adede y Castro (2008), Janine (2010), Tucci (2001), entre outros estudiosos das questões relacionadas com a problemática que envolve água e seus sistemas de abastecimento, além da análise da Lei Nº 9.433/97, que trata da Política Nacional de Recursos Hídricos, Lei 5965/97 que trata da Política Estadual de Recursos Hídricos que visa assegurar o controle do uso da água e sua utilização, em quantidade, qualidade e regime satisfatórios, por seus usuários atuais e futuros e em segundo trabalho de campo, com aplicação de questionários com perguntas referentes aos serviços de abastecimento de água em 60 residências de forma aleatória, afim de entender o porquê de existir em no município essas duas empresas abastecedoras, Casal e Samae e o porquê da insatisfação dos usuários para com as mesmas. Os resultados mostram que alguns parâmetros encontrados nas amostras estão em desconformidade com a Portaria Nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011 do Ministério da Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.  Pode-se concluir que, os sistemas de abastecimento e tratamento de água não são suficientes para a população Ibateguarense, necessitando de uma melhor atenção do poder público.

Referências

ADEDE Y CASTRO, João Marco. Água: um direito humano fundamental. Porto Alegre: Editora Nuria Fabris, 2008, p. 12-13.

ALVES, Ana Claudia Fernandes da Silva. Pacheco. & CLEMENTE, José. Amauri. Degradação Ambiental e Sociedade: Um Estudo do Manancial de Abastecimento Público da Cidade de Santana do Mundaú-AL. Trabalho de Conclusão de Curso, 2014.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2017.

GRASSI, Marco. Tadeu. As Águas do Planeta Terra. Cadernos Temáticos de Química Nova na Escola, Edição especial – Maio 2001. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/cadernos/01/aguas.pdf acesso em 18/01/2018.

JANINE, José Renato. Ética Ambiental. 3 ed. Campinas, SP: Editora Millennium, 2010, p. 38.

LEI 5.965, SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS- SEMARH; Disponível em: http://www.semarh.al.gov.br/institucional/legislacao-documentos/Lei_5965.pdf. Acesso em: 16/03/2018.

LEI 9.433 Política Nacional de Recursos Hídricos, Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9433.htm. Acesso em 16/03/2018.

MOREIRA, Herivelto. CALEFFE. Luiz Gonzaga. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2. ed. São Paulo: DP&A, 2008.

PETRELLA, Riccardo. O manifesto da água: argumentos para um contrato mundial. 2. Ed. Petrópolis: Vozes, 2004. p. 159.

SANTOS, Milton. Espaço e Método. 5 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008, p. 76

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortês 2007.

SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes. Geografia e trabalho de campo. In Geografia Física. Geomorfologia: uma (re) leitura. Ijiú: Editora da UNIJU, 2002.

TUCCI, Carlos. Eduardo. Morelli. Gestão da água no Brasil – Brasília: UNESCO, 2001. p 79

Publicado
2019-06-03
Como Citar
da Silva Brito, S. S., Oliveira da Silva, E., & de Oliveira Silva , C. (2019). Diagnóstico dos Serviços de Abastecimento de água na Perspectiva do Usuário na Cidade de Ibateguara-AL. Diversitas Journal, 4(2), 342-355. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v4i2.705