A contribuição do gênero conto para a formação de leitores no processo da escrita

  • Francielly da Silva Oliveira Universidade Estadual de Alagoas
  • Inalda Maria Duarte de Freitas Universidade Estadual de Alagoas

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar as contribuições do gênero textual conto para a formação de leitores, bem como no processo de desenvolvimento da escrita. Visto que, esse gênero literário abre espaço para que os discentes deixem fluir o imaginário e despertem a curiosidade e possivelmente o senso crítico. Nessa perspectiva, os bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) do polo de Arapiraca, juntamente com um supervisor desse programa do município e a coordenação da escola consideraram a possibilidade de utilizar uma obra literária em sala aula, já que alunos estão na fase de transição da infância para a adolescência. E, devido a essas mudanças, leitura de obras como essa, podem ajudá-los a passar por essa fase, pois apresenta situações possíveis, ainda que fictícias. Além de auxiliar no processo de ensino, focalizando na ampliação de aprendizagem de Língua Portuguesa, desde a oralidade, quanto da argumentação, principalmente, leitura e escrita, promovendo uma interação necessária para que o desenvolvimento ocorra. Logo, como procedimento metodológico, inicialmente, foi feito um levantamento bibliográfico acerca desse gênero e posteriormente um projeto voltado a leitura e à produção textual, mais precisamente de contos, a partir das teorias estudadas. Para desenvolvimento desse trabalho, o projeto foi ancorado nas teorias de Carroll (2002), Marcuschi (2002), Bakhtin (1997), entre outros.

Biografia do Autor

Francielly da Silva Oliveira, Universidade Estadual de Alagoas
Aluna do curso de Especialização Latu-Senso em Linguagem pela Universidade Estadual de Alagoas – UNEAL.
Inalda Maria Duarte de Freitas, Universidade Estadual de Alagoas
Professora Dra. em Ciências da Educação revalidado pela Universidade Federal de Alagoas e docente  da Universidade Estadual de Alagoas-UNEAL.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova

Fronteira; Lucerna, 2009.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Língua portuguesa de 5ª a 8ª série do 1º grau. Brasília: MEC/SEE, 1998. 139 p.

CARROLL, Lewis. As aventuras de Alice no país das maravilhas e Através do espelho.Introdução e notas Martin Gardner. Trad. Maria Luíza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

GREGORIN FILHO, José Nicolau. Literatura juvenil: adolescência, cultura e formação de

leitores. São Paulo: Melhoramentos, 2011.

KRAMER, Sônia. Escrita, experiência e formação: múltiplas possibilidades de criação escrita. São Paulo: Loyola, 2003.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

_______. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Org.). Gêneros textuais e ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

________. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P. et al.(org.) Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002, p. 19-36.

OLIVEIRA, Patrícia Sueli Teles de. A contribuição dos Contos de Fadas no processo deaprendizagem das crianças. 2010. 62 f. Graduação - Curso de Pedagogia, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2010.

Programa Gestão da Aprendizagem Escolar - Gestar II. Língua Portuguesa: Caderno de Teoria e Prática 3 - TP3: gêneros e tipos textuais. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2008.

TALAMONI, Daniela. A leitura na pré-adolescência, 2008. Disponível em:

<http://revistaescola.abril.com.br/linguaportuguesa/praticapedagogica/passagem-so-ida>. Acesso em: 13 agosto 2018.

TAVARES, Hênio Último da Cunha. Teoria Literária. 7. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981.

Publicado
2019-06-04
Como Citar
Oliveira, F. da S., & Freitas, I. M. D. de. (2019). A contribuição do gênero conto para a formação de leitores no processo da escrita. Diversitas Journal, 4(2), 556-565. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v4i2.694