A tríade fé, terra e água dos acampados do açude de Jaramataia-AL: desvendando a mística festa de São Pedro no território pesqueiro

  • Hillary Ranny Farias Gomes Instituto Federal de Alagoas - IFAL.
  • Matteus Freitas Oliveira Universidade Federal da Bahia - UFBA.
  • Felipe Santos Silva Universidade Federal de Alagoas

Resumo

RESUMO: Marcadas por um forte vínculo e identidades territoriais, as comunidades tradicionais de pescadores artesanais são construídas a partir de um conjunto de elementos místicos, que marcam a cultura nessas comunidades. Em Alagoas, situada à margem do maior açude do estado, encontra-se a comunidade de pescadores artesanais São Pedro, no município de Jaramataia, que é fruto de um hibridismo cultural que aconteceu após as estiagens que ocorreram entre as décadas de 1960 a 70 do século XX, e fizeram emergir das lênticas águas do Açude fortes tradições, como a festa em devoção a São Pedro. Frente a esse cenário, surgiram no território pesqueiro, práticas culturais que merecem ser destacadas no cenário alagoano, que é fruto do sentimento de devoção à divindade católica e a história de vida do santo pescador que se reflete como condição de existência na vida dos colonos. Assim, a presente pesquisa buscou analisar a festa de São Pedro, considerando o enlace indissociável entre fé, terra e água no território da comunidade de São Pedro, no semiárido alagoano. Para isso, tornou-se necessário ancorar esta pesquisa nos pressupostos teóricos e metodológicos da Geografia Cultural. Nosso olhar sobre a comunidade tradicional pesqueira encontra-se orientado pelo viés da pesquisa qualitativa, e tem como instrumental os trabalhos de campo, descrições, entrevistas semiestruturadas e revisão de literatura. A pesquisa qualitativa aqui pensada envolve vivências na comunidade à luz de uma aproximação com os sujeitos em estudo, assim, valorizando os modos de vida e de luta, de fé e de identidade no sertão de alagoano.

PALAVRAS CHAVE: Devoção, Identidades, Cultura.

The triad faith, land and water of the campgrounds of the dam of Jaramataia-AL: unveing the mystique feast of São Pedro in the fishing territory

ABSTRACT: Marked by a strong bond and territorial identities, traditional communities of artisanal fishermen are built from a set of mystical elements, which mark the culture in these communities. In Alagoas, located to the largest of the state, is a community of artisanal fishermen São Pedro, in the municipality of Jaramataia, which is the result of a cultural hybridism that happened from the striations that emerged around 1970, and emerge the lucid waters of Açude strong traditions, as a feast in devotion to São Pedro. Facing this scenario, land and housing lands appear, cultural workshops that deserve to be highlighted in the Alagoas scenery, which are the result of a sense of devotion to the Catholic deity and the history of the life of the holy fisherman. Thus, since it is considered a feast of São Pedro, considering that it is inseparable between land, water and water in any territory of the community of São Pedro, there is no Alagoas semi-arid. For this, it became applicable to research in the theoretical end methodological of Cultural Geography. The research is a qualitative research, has as instrumental the fieldwork, descriptions, interviews, semi-structured and literature review. The qualitative research considered here involves the experiences in the community in the light of an approximation with the subjects in studies, valuing the modes of life and struggle, no backlands of Alagoas.

KEYWORD: Devotion, Identities, Culture.

Biografia do Autor

Hillary Ranny Farias Gomes, Instituto Federal de Alagoas - IFAL.
Atualmente cursa Agroindústria no Instituto Federal de Alagoas- Campus Batalha, na modalidade médio técnico, atuando como bolsista de extensão em comunidades tradicionais de pescadores, bem como, em pesquisa voluntária sobre festas religiosas em comunidades tradicionais. Já realizou pesquisa acerca de temas como Geoprocessamento, participou como bolsista no projeto de extensão Minha Comunidade com ações de associativismo e cooperativismo, e como voluntária nos projetos Artifal e Rádio IFAL-Batalha.
Matteus Freitas Oliveira, Universidade Federal da Bahia - UFBA.
Mestre em Geografia pela Universidade Federal da Bahia, professor do Instituto Federal de Alagoas - IFAL. Especialista em Modelagem e Ciências da Terra e do Ambiente e licenciado em Geografia pela Universidade Estadual de Feira de Santana, desenvolve pesquisa com ênfase na área de Geografia, atuando principalmente nos seguintes temas: Geoprocessamento, análise socioambiental, comunidades tradicionais pesqueiras, cidades médias e pequenas e gênero/ sexualidades.
Felipe Santos Silva, Universidade Federal de Alagoas
Licenciado em Geografia pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL/Campus do Sertão) e Especialista em Geo-História pela Faculdade de Ensino Regional Alternativa (FERA/Arapiraca). Estudante de Pós-Graduação (Lato Sensu) em Metodologia do Ensino de Geografia e suas Tecnologias, pela Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL), e em Metodologia do Ensino de Geografia pela Faculdade de Ensino Regional Alternativa (FERA/Arapiraca). Durante a graduação em Geografia foi bolsista do Programa Institucional do Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES), onde desenvolveu projetos educacionais para o ensino de Geografia no segundo ciclo do Ensino Fundamental, ligados à Climatologia e Cartografia. Participa como membro ativo do Grupo de Estudos e Pesquisa em Análise Regional (GEPAR/CNPQ), onde integra o Grupo de Estudos em Geografia Cultural, e do Grupo de Pesquisa Geoprocessamento e a Cartografia no Ensino de Geografia (GCEG/CNPQ). Atua como Professor Substituto no segundo ciclo do Ensino Fundamental, na área de Geografia, pela Prefeitura de Arapiraca - AL. Foi bolsista de Mobilidade Acadêmica na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), financiado pelo Banco Santander, em parceria com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), onde estagiou no Laboratório de Geografia Cultural e de Turismo (LAGECULT/UFU). Foi monitor das disciplinas Quantificação em Geografia e Geografia Cultural, ofertadas pelo curso de Geografia da UFAL. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de Geografia, Geografia Cultural e Festas Rurais.

Referências

BONNEMAISON, Joël. Viagem em torno do território. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (Orgs.). Geografia Cultural: uma ontologia (I). Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012, p. 279-303. ISBN: 978-85-7511-252-6.

CLAVAL, Paul. A FESTA E A CIDADE. CIDADES: Revista Científica / Grupo de Estudos Urbanos, São Paulo, v. 8, n. 13, p. 27-42, 2004. ISSN: 1679-3625.

DOURADO, Auceia Matos. Caminhos e encontros com o território. In: VARGAS, Maria Augusta Mundim; DOURADO, Auceia Matos; SANTOS, Rodrigo Herles dos (Org.). Práticas e vivências com a Geografia Cultural. Aracaju: Edise - Editora Diário Oficial do Estado de Sergipe, 2015, v. único, p. 25-66. ISBN: 978-85-63318-42-8.

MAIA, Carlos Eduardo Santos. CIDADE E FESTA: OS EXCESSOS NAS PARADAS LGBTS – REFLEXÕES A PARTIR DA REALIDADE GOIANIENSE. CIDADES: Revista Científica / Grupo de Estudos Urbanos, São Paulo, v. 8, n. 13, p. 233-261, 2004. ISSN: 16793625.

OLIVEIRA, Matteus Freitas de; NETTO, João Lúcio de Morais Gomes; VIEIRA, Carlos Eduardo dos Santos. O SABER-FAZER E SER PESCADOR ARTESANAL: A produção territorial da Colônia São Pedro de Jaramataia – Alagoas. In: ANAIS do VIII Simpósio Internacional de Geografia Agrária, Curitiba/PA/Brasil 1 a 5 de Novembro de 2017.

ROCHA, Patrícia Quirino; SOUZA, Angela Fagna Gomes de; SANTOS, José Rodolfo da Silva; SILVA, Felipe Santos ; SOARES, Maria De Almeida ; SILVA, Ívia Rejane Ferreira. Uma análise da comunidade tradicional Alto dos Coelhos pelo método geoetnográfico. Diversitas Journal, v. 2, p. 284-292, 2017.

SILVA, Mary Anne Vieira; D’ABADIA, Maria Idelma Vieira; CARVALHO, Eloane Aparecida Rodrigues; LÔBO, Aline Santana; VICENTE, Bruna Gabriela Corrêa; SANTOS, Marcos Antônio F. dos. COSMOLOGIAS RELIGIOSAS E SUAS REPRESENTAÇÕES ESPACIAIS: AS COSMOLOCALIDADES SAGRADAS POR MEIO DAS NARRATIVAS ORAIS E LITERÁRIAS. In: E-Book do VI Colóquio do NEER (Fortaleza-CE), realizado de 26 a 29 de novembro de 2016. Fortaleza, p. 529-544, 2017. ISBN: 978-85-5585-100-1. Disponível em: <http://www.lege.ufc.br/images/stories/arquivos/ebookneer_vfinal.pdf>. Acesso em: 23 de setembro de 2018.

TEIXEIRA, Maisa França; ALMEIDA, Maria Geralda de. A catira e a produção de uma identidade territorial no estado de Goiás. In: MARQUES, Luana Moreira (Org.). Geografias do Cerrado: Sociedade, Espaços e Tempo no Brasil Central. Uberlândia: Edibrás, 2014, p. 217-241. ISBN: 978-85-67803-03-6.

KUHN, Ednizia Ribeiro Araújo. Terra e água: Territórios dos Pescadores artesanais de São Francisco do Paraguaçu – Bahia. 173f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2009.

ZONEAMENTO AGROECOLÓGICO DE ALAGOAS: ZAAL. Base Cartográfica, 2012.

Publicado
2019-02-17
Como Citar
Gomes, H. R. F., Oliveira, M. F., & Silva, F. S. (2019). A tríade fé, terra e água dos acampados do açude de Jaramataia-AL: desvendando a mística festa de São Pedro no território pesqueiro. Diversitas Journal, 4(1), 91-106. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v4i1.673