Abordagem etnobotânica de plantas medicinais em uma comunidade rural do sertão alagoano

  • Janilo Italo Melo Dantas Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Alicia Marques Torres Universidade Federal Rural de Pernambuco

Resumo

È comum de acompanhar em várias populações locais o uso de plantas para fins medicinais. Muitas destas, tem sido um dos principais recursos utilizados na cura ou alívio de doenças. Perante a utilização das mesmas, muitos dos indivíduos passaram a desenvolver um amplo saber tradicional, encontrando-se dispersos por parte de várias populações locais. Diante disso, este estudo objetivou analisar o conhecimento dos moradores da comunidade Lopes em Canapi, AL, sobre a utilização de plantas medicinais, ressaltando a finalidade e suas formas de uso. Para coleta de dados, foram realizados entrevistas semiestruturadas com 30 indivíduos da comunidade, visando identificar plantas utilizadas como medicinais, doenças combatidas pelas plantas, as formas de uso, e obtenção de conhecimento dos indivíduos. Foram citados um total de 21 plantas medicinais, sendo as mais citadas, o hortelã (Mentha spicata L.), mastruz (Chenopodium ambrosioides L.), babosa (Aloe vera (L.) Burm. f.) e eucalipto (Eucalyptos globulus Labill.). Foi possível verificar uma grande variedade de doenças tratadas por determinadas plantas, desde doenças respiratórias, digestórias, cardíacas e entre outras. Em relação ao uso de determinadas plantas no tratamento de doenças, as folhas e as cascas das plantas, foram o principal meio indicado. Foi possível perceber que os indivíduos da comunidade apresentam um amplo saber tradicional a respeito das plantas medicinais, sendo muitos desses, adquiridos socialmente de geração para geração. Diante disso, a realização deste estudo, permitiu registrar e divulgar a cultura medicinal dos indivíduos, uma vez que muitos dos saberes apresentados pelos mesmos, são essenciais para o contexto cultural e para vida social em que os mesmos estão inseridos.

Referências

ALBUQUERQUE, U.P.; RAMOS, M.A.; LUCENA, R.F.P.; ALENCAR, N.L. Methods and techniques used to collect ethnobiological data, In: (Orgs.) ALBUQUERQUE, U.P.; CUNHA, L.V.F.C.; LUCENA, R.F.P.; ALVES, R. R. N. Methods and Techniques in Ethnobiology and Ethnoecology. New York: Springer. pp. 15-38, 2014.

BADKE, M.R.; BUDÓ, M.L.D.; ALVIM, N.A.T.; ZANETTI, G.D.; HEISER, E.V. Saberes e práticas populares de cuidado em saúde com o uso de plantas medicinais. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2012 Abr-Jun; 21(2): 363-70.

BADKE, M.R.; SILVA, F.M.D.; RESSEL, L.B Plantas medicinais: o saber sustentado na prática do cotidiano popular. Esc Anna Nery (impr.)2011 jan-mar; 15 (1):132-139.

BRASILEIRO, B.G.; PIZZIOLO, V.R.; MATOS, D.S.; GERMANO, A.M.; JAMAL, C.M. Plantas medicinais utilizadas pela população atendida no “Programa de Saúde da Família”, Governador Valadares, MG, Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, vol. 44, n. 4, out./dez., 2008.

FREITAS, A.V.L.; COELHO, M.F.B; PEREIRA, Y.B.; FREITAS NETO, E.C.; AZEVEDO, R.A.B. Diversidade e usos de plantas medicinais nos quintais da comunidade de São João da Várzea em Mossoró, RN. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.17, n.4, supl. II, p.845-856, 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. População estimada, 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/al/Canapi /panorama Acesso em: 04-08-2017, Agosto. 2017.

LIMA, I.E.O.; NASCIMENTO, L.A.M.; SILVA, M.S. Comercialização de Plantas Medicinais no Município de Arapiraca-AL. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.18, n.2, p.462-472, 2016.

MACIEL, M.A.M.; PINTO, A.C.; VEIGA JÚNIOR, V.F. Plantas medicinais: a necessidade de estudos multidisciplinares. Quim. Nova, Vol. 25, No. 3, 429-438, 2002.

PASA, M.C. Saber local e medicina popular: a etnobotânica em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum. Belém, v. 6, n. 1, p. 179-196, jan.- abr. 2011.

PASA, M.C.; SOARES, J.J.; NETO, G.G. Estudo etnobotânico na comunidade de Conceição-Açu (alto da bacia do rio Aricá Açu, MT, Brasil). Acta bot. bras. 19(2): 195-207. 2005.

SILVA, M.D.P.; MARINI, F.S.; MELO, R.S. Levantamento de plantas medicinais cultivadas no município de Solânea, agreste paraibano: reconhecimento e valorização do saber tradicional. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.17, n.4, supl. II, p.881-890, 2015.

SOARES, M.A.A.; BRAGA, J.R.P.; MOURÃO, A.E.B.; PARENTE, K.M.S.; FILHO, E.G.P. Levantamento etnobotânico das plantas medicinais utilizadas pela população do município de Gurinhém – Paraíba. Revista Homem, Espaço e Tempo, set/out de 2009.

SPAGNUOLO, Regina Stella; BALDO, Renata Cristina Silva. Plantas Medicinais e Seu Uso Caseiro: o Conhecimento Popular. UNOPAR Cient., Ciênc. Biol. Saúde. 2009;11(1):31-4.

MELO, S. LACERDA, V.D.; HANAZAKI, N. Espécies de restinga conhecidas pela comunidade do Pântano do sul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Rodriguésia 59 (4): 799-812. 2008.

Publicado
2019-02-15