Potencial antioxidante e alelopático de Crataeva tapia L.

  • Maria Eugênia Vieira Xavier
  • Deysiane Carollyne Gonçalves da Silva
  • Erijane da Silva Macedo
  • Mayara Andrade Souza Cesmac
  • Aldenir Feitosa dos Santos Universidade Estadual de Alagoas e Centro Universitário CESMAC
  • João Gomes Costa Centro Universitário CESMAC http://orcid.org/0000-0002-0761-0755

Resumo

 

Antioxidant and allelopathic potential of Crataeva tapia L.

RESUMO: Pesquisas que visam à substituição dos antioxidantes comerciais bem como os herbicidas artificiais, através da aplicação de substâncias naturais vegetais, vêm ganhando espaço em estudos acadêmicos e no desenvolvimento de novos produtos. Assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o potencial antioxidante e alelopático de Crataeva tapia L. Para alcançar esse objetivo foram coletadas folhas C. tapia para obtenção do extrato e posteriores determinações: atividade antioxidante através do método DPPH (2,2- difenil-1-picril-hidrazila - DPPH•), teor de fenóis totais no extrato etanólico de pelo método de Folin-Ciocalteu, e a atividade alelopática dos diferentes extratos em relação a germinação de sementes de alface. Os resultados obtidos com o extrato etanólico das folhas de C. tapia apresentaram uma eficiente atividade antioxidante mediante o teste de DPPH, além de demonstrar um resultado significativo de teor de compostos fenólicos e teor de flavonóides totais, podendo ser utilizada como provável fonte de compostos antioxidantes naturais na indústria alimentícia e farmacêutica. A espécie C. tapia apresenta muitos compostos, principalmente flavonoides, classe de polifenóis conhecida por sua capacidade de inibir a formação de radicais livres. O extrato das folhas da espécie apresentou forte atividade alelopática evidenciando potencial para exploração futura como fonte de herbicida natural.

 

PALAVRAS-CHAVE: Compostos fenólicos; Metabólitos secundários; Aleloquímicos

 

 

 

ABSTRACT: Research that aims to replace commercial antioxidants as well as artificiais herbicides, through the application of natural plant substances, has been gaining ground in academic studies and the development of new products. Thus, the present work had as objective to evaluate the antioxidant and allelopathic potential of Crataeva tapia L. In order to reach this objective, C. tapia leaves were collected to obtain the extract and subsequent determinations: antioxidant activity through the DPPH (2,2-diphenyl-1-picryl-hydrazila - DPPH •) method, total phenols content in the ethanolic extract of hair Folin-Ciocalteu method, and the allelopathic activity of the different extracts in relation to the germination of lettuce seeds. The results obtained with the ethanolic extract of the leaves of C. tapia showed an efficient antioxidant activity through the DPPH test, besides demonstrating a significant result of phenolic compounds content and total flavonoid content, being able to be used as a probable source of antioxidant compounds in the food and pharmaceutical industry. The species C. tapia presents many compounds, mainly flavonoids, class of polyphenols known for its ability to inhibit the formation of free radicals. The extract of the leaves of the species presented strong allelopathic activity evidencing potential for future exploration as source of natural herbicide.

 

KEYWORDS: phenolics compounds; secondary metabolites; allelochemicals.

 

 


Biografia do Autor

Mayara Andrade Souza, Cesmac

Engenheira Agrônoma pelo Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (2008), possui Mestrado (2011) e Doutorado (2014) em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba. Bolsista DTI - EMBRAPA Tabuleiros Costeiros (2014-2015). Participou do Programa Nacional de Pós-Doutorado (UFPB/EMBRAPA/CAPES, 2015-2017). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação Análise de Sistemas Ambientais, CESMAC-Maceió. Atuando nos seguintes temas: Análise da Vegetação em Ecossistemas, Manejo do solo, Dinâmica dos organismos edáficos (macrofauna, mesofauna e atividade microbiana), Espécies nativas da Caatinga e Sustentabilidade Ambiental.

Aldenir Feitosa dos Santos, Universidade Estadual de Alagoas e Centro Universitário CESMAC
Docente e pesquisadora da Universidade Estadual de Alagoas e membro do Programa de Pós-graduação em Análise de Sistemas Ambientais pelo Centro Universitário Cesmac; Maceió; Alagoas
João Gomes Costa, Centro Universitário CESMAC
Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Alagoas (1985), mestrado em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa (1995) e doutorado em Biotecnologia - RENORBIO pela Universidade Estadual do Ceará (2010). Atualmente é pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Tabuleiros Costeiros e Professor do programa de Pós-Graduação em Agricultura e Ambiente da Universidade Federal de Alagoas e Professor do Centro Universitário CESMAC. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Melhoramento Vegetal e Ecologia Química, atuando principalmente nos temas: melhoramento de frutíferas e uso de semioquímicos na agricultura. (Texto informado pelo autor)

Referências

ALVES, R. M. et al. Potencial alelopático de folhas secas de Caesalpinia férrea Mart. Em diferentes períodos de decomposição sobre a germinação de Vigna unguiculata (L.) Walp, cv. Canapu. Enciclopédia Biosfera, v.15, n.27, p.200-207, 2018.

CABRAL, D. L. de V. et al. Modulatory activity and chemical profile of a hydroalcoholic extract of Crateva tapia L. African Journal of Microbiology Research, v. 9, n. 5, p. 326-331, 2015.

CASTRO, R. A.; FABRICANTE, J. R.; ARAUJO, K. C. T. Sociabilidade e potencial alelopático de espécies da caatinga sobre a invasora Nicotiana glauca Graham (Solanaceae). Natureza online, v.15, n.1, p.59-69, 2017.

HADE, Swati N. et al. Evaluation of Crataeva nurvala extracts as antioxidant, antiproteolytic and cytotoxic against hepato-carcinoma and mouse melanoma cell lines. Journal of Applied Pharmaceutical Science, v. 6, n. 09, p. 189-196, 2016.

HAMINIUK, C. W. I.; MACIEL, G. M.; PLATA-OVIEDO, M. S. V. et al. Phenolic

compounds in fruits – an overview. International Journal of Food Science & Technology, v. 47, p. 2023-2044, 2012.

LIU, Jun et al. In vitro and in vivo antioxidant activity of ethanolic extract of white button mushroom (Agaricus bisporus). Food and chemical toxicology, v. 51, p. 310-316, 2013.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002.

MANSOUR, R. B. et al. “Phenolic Contents and Antioxidant Activity of Ethanolic Extract of Capparis Spinosa.” Cytotechnology, v.68, v.1, p. 135–142, 2016.

MATOS, J. M. D; MATOS, M. E. O. Farmacognosia: curso teórico – prático. Fortaleza: Edições UFC, 1989.

NAZARNI, R. et al. The effect of fermentation on total phenolic, flavonoid and tannin content and its relation to antibacterial activity in jaruk tigarun (Crataeva nurvala, Buch HAM). International Food Research Journal, v. 23, n. 1, p.309-315, 2016.

OMENA, C. M. B. et al. Antioxidant, anti-acetylcholinesterase and cytotoxic activities of ethanol extracts of peel, pulp and seeds of exotic Brazilian fruits: antioxidant, anti-acetylcholinesterase and cytotoxic activities in fruits. Food Research International, v. 49, n. 1, p. 334-344, 2012.

PATIL, U. H.; GAIKWAD, D. K. Differential bactericidal potential and phytochemical evaluation of Crataeva religiosa stem bark. International Journal of Pharmaceutical Research and Development, v.2, n. 11, p. 82-88, 2012.

SHARMA, P.; PATIL, D.; PATIL, A. Crataeva tapia linn. - an important medicinal plant: a review of its traditional uses, phytochemistry and pharmacological properties. International Journal of Pharmaceutical Sciences and Research. v. 4, p. 582 -589, 2013.

SIKARWAR, M. S., PATIL, M. B. Antidiabetic activity of Crateva nurvala stem bark extracts in alloxan-induced diabetic rats. Journal of pharmacy and bioallied sciences, v. 2, n. 1, p. 18-21, 2010.

SIMÕES, C. M. O. et al.. Farmacognosia: da planta ao medicamento. Porto Alegre: UFRGS; 2010.

SILVA, F. M.; AQUILA, M. E. A. Potencial alelopático de espécies nativas na germinação e crescimento inicial de Lactuca sativa L. (Asteraceae). Acta Botânica Brasílica, v.20, n.1, p. 61-69, 2006.

SILVA, M. J. D.; ENDO, L. H.; DIAS, A. L. T. et al. Avaliação da atividade antioxidante e antimicrobiana dos extratos e frações orgânicas de Mimosa caesalpiniiifolia Benth. (Mimosacae). Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, v. 33, n. 2, p. 267- 274, 2012.

SOUSA, C. M. M. et al. Fenóis totais e atividade antioxidante de cinco plantas medicinais. Química Nova, v.30, n.2, p. 351-355, 2007.

ZHANG, F. et al. Structural Studies of the Interaction of Crataeva tapia Bark Protein with Heparin and Other Glycosaminoglycans. Biochemistry, v.52, p.2148−2156, 2013.

Publicado
2019-02-18
Seção
Dossiê Temático - O potencial biológico de plantas