Ação antiradicalar das partes aéreas de duas matrizes de Pinha

  • Gessyca Gouveia de Oliveira Universidade Federal de Alagoas
  • Suellen Maria Albuquerque da Silva Universidade Federal de Alagoas
  • Marília Alves Layse Universidade Estadual de Alagoas
  • Maria Gleysiane Souza dos Santos Universidade Estadual de Alagoas
  • Kelly Cristina Barbosa Silva Santos Universidade Estadual de Alagoas, Alagoas
  • Aldenir Feitosa dos Santos Centro Universitário Cesmac

Resumo

RESUMO: A pinha (Annona squamosa L.) apresenta seu cultivo em diversos estados brasileiros, compreendendo principalmente a região nordeste, de modo, que sua ação antiradicalar já apresenta-se descrita, porém sua atividade biológica varia de acordo com os diversos fatores externos, tais como: avaliação, área de coleta e entre outros, o que torna relevante a análise de sua ação em áreas distintas.  Neste contexto, o presente trabalho propõe determinar a ação antiradicalar, teor de fenóis e prospecção fitoquímica da espécie pinha (A.squamosa), a qual foi coletada em Estrela de Alagoas (pinha 1) e Palmeira dos Índios (pinha 2). Através da análise fitoquímica foram identificados os taninos flobatênicos, flavonas, flavonóis e xantonas, catequinas, flavononas, esteroides e saponinas. Por meio da interpolação das absorbâncias das amostras da espécie vegetal obteve-se na amostra Pinha 1 um teor de fenóis de 1584,94 mg EAG/g de extrato que sobressaiu a Pinha 2. E o teor de flavonoides de ambas as amostras apresentaram teores semelhantes. A atividade antioxidante (AAO%) pelo método do radical livre DPPH tanto da pinha 1 como da pinha 2, demonstraram um resultado significativo nas concentrações de 100 µg.mL-1  e 200 µg.mL-1, apresentando uma AAO% de 92,17 e 97,1. Enquanto, pelo método de captura do radical ABTS e pelo método de FRAP, a pinha 1 demonstrou um maior potencial antioxidante quando comparada com a pinha 2. Portanto, em todos os testes realizados, a amostra coletada no município de Estrela de Alagoas (Pinha 1) apresentou resultado superior a amostra Pinha 2.

 

PALAVRAS-CHAVE: Atividade antioxidante, Benefícios, Compostos fenólico, Pinha.

ABSTRACT: The pine (Annona squamosa L.) is a species of northeastern region, which has its antiradical action occurring, at the same time its biological nature varies according to the external factors, such as: evaluation, collection area and introduction of others, which makes it relevant to analyze their action in different areas. In this context, the present work is determined as an antiradical action, a phenol content and a phytochemical prospection of the species pinha (A.squamosa), a collection in Estrela de Alagoas (pinha 1) and Palmeira dos Índios (pinha 2). Phytochemical analysis revealed flobatenic tannins, flavones, flavonols and xanthones, catechins, flavonones, steroids and saponins. By means of the interpolation of the absorbances of the plant samples found, in the sample Pinha 1 a hay content of 1584.94 mg EAG / g of Pinha 2 extract. And the content of flavonoids of both species as such: An antioxidant activity (AAO%) by the DPPH free radical method of pineapple 1 and pineapple 2, demonstrating a significant effect in the concentrations of 100 μg.mL -1 and 200 μg.mL -1, presenting an AAO% of 92, 17 and 97.1. Those who, by the ABTS radical capture method and the FRAP method, showed a higher antioxidant potential when compared to pineapple 2. The resistance test was performed in a sample collected in the city of Estrela de Alagoas (Pinha 1) word result higher than sample Pineapple 2.

KEYWORDS: Antioxidant activity, Benefits, Phenolic compounds, Pineapple.

 

Biografia do Autor

Gessyca Gouveia de Oliveira, Universidade Federal de Alagoas
Graduada em Farmácia; Universidade Federal de Alagoas; Maceió, Alagoas
Suellen Maria Albuquerque da Silva, Universidade Federal de Alagoas
Graduada em Farmácia; Universidade Federal de Alagoas; Maceió, Alagoas
Marília Alves Layse, Universidade Estadual de Alagoas
Graduanda em Ciências Biológicas, na Universidade Estadual de Alagoas. Bolsista PIBIC, FAPEAL, no laboratório GRUPEQ. As pesquisas trabalhadas, são voltadas para área da Quimica Orgânica, consistindo na avaliação da atividade antioxidante de espécies vegetais, prospecção de metabólitos secudários e quantificação de fenóis e flavanoides nas mesmas.
Maria Gleysiane Souza dos Santos, Universidade Estadual de Alagoas
Graduanda em Licenciatura em Ciências Biológicas; Bolsista de Iniciação Científica PIBIC; Universidade Estadual de Alagoas
Kelly Cristina Barbosa Silva Santos, Universidade Estadual de Alagoas, Alagoas
Pesquisadora da Universidade Estadual de Alagoas, Alagoas
Aldenir Feitosa dos Santos, Centro Universitário Cesmac
Professora Titular da Universidade Estadual de Alagoas, Alagoas e Docente e pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Análise de Sistemas Ambientais pelo Centro Universitário Cesmac.

Referências

-ASSIS, M.A; MORELLI-AMARAL, V.F; PIMENTA, F. Grupos de pesquisa e sua produção científica sobre plantas medicinais: um estudo exploratório no Estado do Rio de Janeiro. Revista Fitos, Vol. 9, n. 1, p. 1-72, 2015.

-BONIL, L.N; BUENO, S.M. Plantas medicinais: Beneficio e malefícios. 2014. Disponivel em: < http://unilago.edu.br/revista-medicina/artigo/2017/10-plantas-medicinais-beneficios-e-maleficios.pdf>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

CAMPOS,M.T.G.C; LEME, F.O.P. Estresse oxidativo: fisiopatogenia e diagnóstico laboratorial. Rev. Pubvet, v.12, n.1, a10, p.1-8, Jan., 2018. Disponível em: < http://www.pubvet.com.br/uploads/b6549d41cf307ea6ef99fec75354f20f.pdf>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

CARVALHO, G.G. “Propriedades antioxidantes e sensoriais de barras de cereais convencionais e light adicionadas de casca de jabuticaba (Myrciaria jaboticaba)”. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação em Alimentos e Nutrição da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas para obtenção do título de Mestra em Alimentos e Nutrição. Campina, 2013.

CANSIAN, R.L; MOSSI,A.J; PAROUL, N; TONIAZZO, G; ZBORALSKI, F.; PRICHOA, F. C. KUBIAK, G. B.; LERIN, L. A; Antioxidant and antimicrobial activity of cinnamon sassafras extracts (Ocotea odorifera (Vell.) Rowher). Rev. PERSPECTIVA, v.34, n.127, p. 123-133, 2010. Disponível em: < http://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/127_129.pdf>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

-CAVALCANTE, L.C.D; BARROS, E.D.S; ARAÚJO, P.B.M; BRANDÃO, M.S; CHAVES, M.H. Fenóis totais e atividade antioxidante de cinco plantas medicinais. Rev. Quim. Nova, Vol. 30, No. 2, 351-355, 2007. Disponível em: < http://quimicanova.sbq.org.br/imagebank/pdf/Vol30No2_351_20-AR06044.pdf>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

-FLAMBÓ, D.F.A.L.P. Atividades biológicas dos flavonoides: Atividade antimicrobiana. p. 1-53. 2013. Disponível em: <https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/3979/1/Projeto%20final.pdf>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

FREIRE, C.J; BARBOSA, L.R.S; COSTA, J.G; SANTOS, R.G.A; SANTOS, A.F. Fitoterapia em pediatria: a produção de saberes e práticas na Atenção Básica. Rev. Brasileira de Enfermagem, p. 682-90, n.71, 2018.

GADELHA, C.S; JUNIOR, V.M.P; BEZERRA, K.K.S; MANIÇOBA, B.B; MARACAJÁ, P.P.B. Estudo bibliográfico sobre o uso das plantas medicinais e fitoterápicos no Brasil. Rev. Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. v. 8, n. 5, p. 208 – 212, 2013.

LEMOS, E.E.P. A produção de anonáceas no Brasil. v. 36, p. 077-085, 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbf/v36nspe1/v36nspe1a09.pdf>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

-LOIZZO, M. R. et al. Radical scavenging, antioxidant and metal chelating activities

of Annona cherimola Mill. (cherimoya) peel and pulp in relation to their total phenolic and total flavonoid contents. Journal of Food Composition and Analysis, v. 25, p. 179-184, 2012.

MAZEPA, L. Análise do perfil físico-químico, atividade antioxidante e atividades biológicas da espécie vegetal Annona x atemoya Mabb. Dissertação apresentada ao programa de pós-graduação em segurança alimentar e nutricional, área de concentração: qualidade dos alimentos e nutrição, do departamento de nutrição, setor de ciências da saúde da universidade federal do paraná, como requisito parcial à obtenção do título de mestre em segurança alimentar e nutricional. Curitiba, 2014.

-RABÊLO, S.V. Revisão de alcaloides do gênero annona, estudo fitoquímico e avaliação da atividade biológica de atemoia (Annona cherimola x Annona squamosa). Dissertação apresentada à Universidade Federal do Vale do São Francisco, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais do Semiárido, para obtenção do título de Mestre em Recursos Naturais, Petrolina, 2014.

-REIS, C. N. et al. Inibição da produção de óxido nítrico e efeito citotóxico de extrato

aquoso de annona muricata L. Perspectivas Online, Rev.Ciências Biológicas e da Saúde, v. 1, n. 2, p. 1-8, 2011.

SANTI, M.M; SANCHES, F.S; SILVA, J.F.M, SANTOS, P.M.L. Determinação do perfil fitoquímico de extrato com atividade antioxidante da espécie medicinal Cordia verbenacea DC. por HPLC-DAD. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas, v.16, n.2, p.256-261, 2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbpm/v16n2/14.pdf>. Acessado em 04 de agosto de 2018.

SOUZA, F.T.C; RABELÔ, T.C.B; SANTOS, L.K.F; SANTOS, E.R.; SILVA, J.C. Prospecção científica e tecnológica referente à pinha (Annona squamosa L.). Cad. Prospec., v. 8, n. 4, p. 817-827, out./dez. 2015.

-SOARES, M; WELTER, L; KUSKOSKI, E.M; GONZAGA, L; FETT, R. Compostos fenólicos e atividade antioxidante da casca de uvas Niágara e Isabel. Rev. Bras. Frutic. vol.30 n.1, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-29452008000100013>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

-SOUZA, R.D; NUNES, C.R; PEREIRA, S.M.F;OLIVEIRA, OLIVEIRA, R.R; OLIVEIRA, D.B.O. Atividade antioxidante, teor de taninos, fénois, ácido ascórbico e açucares em Cereus fernambucensis. 2017. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/282203412_Antioxidant_activity_and_content_of_tannins_phenols_ascorbic_acid_and_sugar_in_Cereus_fernambucensis>. Acessado em 01 de agosto de 2018.

-SOUSA, C.M.M, et al. Fenóis totais e atividade antioxidante de cinco plantas medicinais. Rev. Quím. Nova, vol.30 no.2 São Paulo Mar./Apr. 2007.

-ROCKENBACH, I.I; SILVA, G.L; RODIRGUES, E; KUSKOSKI, R.F. Influência do solvente no conteúdo total de polifenóis, antocianinas e atividade antioxidante de extratos de bagaço de uva (Vitis vinifera) variedades Tannat e Ancelota. Rev.Ciênc. Tecnol. Aliment. vol.28, n.l, 2008.

Publicado
2019-02-18
Seção
Dossiê Temático - O potencial biológico de plantas